Anúncios

Bolsonaro demite secretário da Cultura que fez vídeo com discurso semelhante ao nazista Goebbels

O presidente Jair Bolsonaro decidiu exonerar o secretário de Cultura, Roberto Alvim, depois da repercussão de vídeo em que o secretário faz uma fala ufanista semelhante ao do ministro da propaganda de Hitler, Joseph Goebbels, um dos criadores do nazismo. O discurso de Goebbels consta do livro “Joseph Goebbels: Uma biografia”, do historiador alemão Peter Longerich. O vídeo foi postado ontem (16) na conta do YouTube da Secretaria Especial de Cultura.

Além da repetição da fala do ministro nazista, Alvim escolheu como música de fundo a composição “Lohengrin”, de Richard Wagner (1813-1883), maestro e compositor alemão que escreveu ensaios nacionalistas e antissemitas, e foi tomado pelos nazistas como exemplo de superioridade musical e intelecto.

Mesmo depois do impacto causado por seu discurso, Alvim defendeu o que fez e disse que assinaria embaixo o que Goebbels dissera. O assunto foi um dos mencionados nas redes sociais como o Twitter e o Facebook e rendeu reações dentro e fora do Brasil. O presidente do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia e o Procurador Geral da República, Augusto Aras, repudiaram a fala do secretário de Cultura de Bolsonaro.

Apesar de o presidente Bolsonaro já ter anunciado que demitirá Roberto Alvim, o vídeo ainda está no YouTube e no portal da Secretaria Especial de Cultura. Veja o que ele disse e o que tinha dito o ministro de Hitler:

Roberto Alvim
“A arte brasileira da próxima década será heroica e será nacional, será dotada de grande capacidade de envolvimento emocional, e será igualmente imperativa, posto que profundamente vinculada às aspirações urgentes do nosso povo – ou então não será nada.”

Joseph Goebbels
“A arte alemã da próxima década será heroica, será ferreamente romântica, será objetiva e livre de sentimentalismo, será nacional com grande páthos e igualmente imperativa e vinculante, ou então não será nada.”

PRÊMIO

No discurso de Alvim, ele divulga o Prêmio Nacional das Artes, que promete patrocinar produções inéditas em diferentes áreas da cultura, como óperas, contos, espetáculos teatrais, pintura e escultura. O valor total do prêmio, segundo o governo federal, é de R$ 20,625 milhões.

Em suas sete categorias, o Prêmio irá selecionar 5 óperas, 25 espetáculos teatrais, 25 exposições individuais de pintura e 25 de escultura, 25 contos inéditos, 25 CDs musicais originais e 15 propostas de histórias em quadrinhos

VEJA O VÍDEO

Anúncios

Comente

%d blogueiros gostam disto: