Ministério Público abre processo para apurar improbidade administrativa de vereadora de Vitória da Conquista

O Ministério Público do Estado da Bahia instaurou inquérito civil para investigar suposta ilegalidade praticada por uma de Vitória da Conquista.

O despacho publicado no Diário Oficial da Justiça de terça-feira (21), assinado pelo promotor George Elias Gonçalves Pereira, gerente regional do MPE em Vitória da Conquista, informa que o objetivo do inquérito é colher “maiores esclarecimentos sobre os fatos, para posterior adoção das providências cabíveis, nos termos da legislação aplicável”. A publicação não nomina a vereadora que estaria sendo investigada, restringindo-se a mencionar “suposta ilegalidade praticada por Vereadora do Município de Vitória da Conquista”.

Inicialmente, a notícia, sem especificar se de quem se tratava, gerou burburinhos na Câmara de Vereadores e no meio político, já que a atual legislatura municipal tem três mulheres. Chegou ser cogitada a possibilidade de se tratar de um ex-presidente a quem o Tribunal de Contas sempre se referiu como vereadora, em razão do nome comum aos dois gêneros, mas não há ação ativa relacionada ao ex-presidente no TCM ou no Ministério Público.

Segundo o presidente da Câmara de Vereadores, Luciano Gomes (PL), o Ministério Público não forneceu informações sobre o processo, mesmo após pedido oficial feito pela Casa, por meio do procurador Alexandre Pereira. “Ainda está em sigilo”, acreditava Luciano. “Nosso procurador pediu informações oficiosamente, mas não obteve, então fez uma petição, mas até agora não tivemos resposta”.

A resposta pode ser obtida no setor de consulta de processos no Portal do MPE, colocando o número registrado no Sistema Integrado de Dados, Estatística e Atuação (IDEA) 644.9.138235/2019. Lá, aparece o nome da vereadora Nildma Ribeiro Lima (PCdoB), como representada. A representação foi recebida pela 8ª Promotoria de Justiça, em Vitória da Conquista, no mês de julho do ano passado.

O BLOG entrou em contato com a vereadora Nildma Ribeiro e ela disse não saber do que se trata. “Vou me informar primeiro, pois não recebi nenhuma notificação. Te certeza de que é comigo?”, questionou. Só dá para ter certeza de quem e do que se trata se o Ministério Público se manifestar. Por enquanto, fica o mistério: quem é a vereadora investigada e qual a motivação para tal investigação. Com a palavra, o MPE e o promotor George Elias Gonçalves Pereira.

Author: Giorlando Lima

Jacobinense, conquistense, itabunense, baiano, brasileiro. Pai de Giorlando e Alice, minhas razões de viver; profunda e eternamente apaixonado pela vida. 58 anos de idade, 42 de labuta como jornalista, publicitário, marqueteiro, blogueiro. Minha ideologia é o respeito, minha religião é o amor.

Comente