Sindicato de professores critica educação em Conquista e reclama de ter ficado de fora de jornada pegagógica


A presidente do Sindicato do Magistério Municipal Público (Simmp), Ana Cristina, usou a tribuna da Câmara durante a sessão desta quarta-feira (04), para lamentar a situação da educação no município de Vitória da Conquista. Ela citou a realização da jornada pedagógica na última segunda-feira, para a qual o sindicato não foi convidado a participar. “Não fomos convidados a participar, isso é um desrespeito com a categoria”, e disse que o próprio prefeito foi desrespeitoso com a categoria, durante a abertura do evento. “Ele disse que o seu governo está trazendo uma escola que não ensinava e agora ensina”, relatou.

Ainda segundo Ana Cristina, ela mesma é fruto de escola pública e entende que “quando o prefeito chega na jornada pedagógica e critica a escola pública, ele está sendo desrespeitoso com a categoria”. Lembrou que ainda existe professores laudistas, com salario cortado por seis meses e uma “perseguição grande, uma forma truculenta de lidar com os professores e com a educação”.

Ana Cristina afirmou que a categoria percorreu a periferia da cidade para ouvir a população: “quem tiver pensando que asfalto vai enganar, está enganado. Nós fomos parados diversas vezes com o carro de som e ouvimos muitas denúncias”, disse, acrescentando que “as pessoas que ficam do outro lado da pista, lá na Avenida Brumado, tem que vir para o lado para frequentar creches. A rede encolheu, não tem vagas e ainda exitem professores excedentes”, concluiu.


COM TEXTO E FOTO DA ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO DA CÂMARA

Author: Giorlando Lima

Jacobinense, conquistense, itabunense, baiano, brasileiro. Pai de Giorlando e Alice, minhas razões de viver; profunda e eternamente apaixonado pela vida. 58 anos de idade, 42 de labuta como jornalista, publicitário, marqueteiro, blogueiro. Minha ideologia é o respeito, minha religião é o amor.

Comente