Deputado Waldenor Pereira diz que reunião em Brasília para discutir duplicação da BR 116 foi frustrante

Deputados federais, vereadores e lideranças de representações de diferentes segmentos de Vitória da Conquista, incluindo o prefeito Herzem Gusmão (MDB) estiveram presentes ontem (4) em uma reunião em Brasília para discutir a duplicação da BR 116 e outros investimentos para o trecho, que tem concessão administrada pela Via Bahia. A audiência contou com a participação do ministro da Infraestrutura do governo federal, Tarcísio Gomes, do diretor geral do DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes), general Santos Filho e de outras autoridades do governo federal.

A reunião foi motivada pelo movimento “Duplica Sudoeste”, que tem como uma de suas principais lideranças o empresário José Maria caires, e por lideranças políticas regionais, que levaram reclamações de usuários das rodovias federais baianas, pelo fato da concessionária não executar boa parte das obras previstas de melhoria nos trechos, a exemplo da duplicação da BR 116 e da construção de viadutos no anel rodoviário de Vitória da Conquista, devido aos constantes acidentes e atropelamentos ocorridos no trecho.

O deputado federal Waldenor Pereira (PT), que esteve presente na audiência juntamente com o vereador Fernando Vasconcelos (PT), além da vereadora Nildma Ribeiro (PCdoB) e do presidente da Câmara conquistense, Luciano Gomes (PL), afirmou que se sentiu frustrado com o resultado final da reunião, porque o ministro, segundo o parlamentar, foi categórico no posicionamento de rompimento do contrato com a Via Bahia, que por mais de dez anos não vem cumprindo o acordado no contrato de concessão, mas no entanto não ofereceu uma alternativa rápida para solução dos problemas apresentados.

“Saímos da reunião preocupados, porque trata-se de um investimento importante para a nossa região, especialmente para o município de Vitória da Conquista. Mas o ministro destacou a insuficiência de recursos e deixou muito claro que o investimento só será realizado através de uma nova licitação, obrigando-se a nova empresa concessionária a destinar recursos para a realização desta obra”, afirmou Waldenor.

De acordo com o contrato de 25 anos assinado em 3 de setembro de 2009 com a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), a Via Bahia teria o controle das rodovias até 20 de outubro de 2034. Segundo o ministro Tarcísio Gomes, o contrato será rompido de forma amigável, caso a Via Bahia decida devolver a concessão ao governo federal, ou então através de medida judicial, de caducidade do contrato de concessão, tendo em vista o não cumprimento do acordado na assinatura.


COM TEXTO E FOTO DA ASSESSORIA DO DEPUTADO

Author: Giorlando Lima

Jacobinense, conquistense, itabunense, baiano, brasileiro. Pai de Giorlando e Alice, minhas razões de viver; profunda e eternamente apaixonado pela vida. 58 anos de idade, 42 de labuta como jornalista, publicitário, marqueteiro, blogueiro. Minha ideologia é o respeito, minha religião é o amor.

Comente