Governador não descarta fechar tudo, mas pede serenidade e olhar social nas decisões sobre o coronavírus


O governador Rui Costa comentou na manhã desta terça-feira (17) o impacto das decisões dos gestores na vida social e econômica das cidades e do estado, e pediu serenidade. Em sua fala, feita durante a entrega da Central Integrada de Comando e Controle da Saúde do Estado da Bahia, Rui disse que é preciso ver a situação concreta de cada dia e de cada localidade para tomar decisões. Segundo o governador, seria cômodo para ele decidir fechar tudo por causa do temor do novo coronavírus, mas ele tem que pensar nas famílias.

“Então, eu não posso antecipar decisões e fechar tudo, inclusive o comércio. O estado, a Bahia, não tem condições de fazer um programa emergencial de distribuição de renda para garantir que 15 milhões de pessoas fiquem sem trabalhar”, ressaltou Rui. Ele explicou que as decisões de restrição social, nos transportes, locais públicos, escolas, etc., serão tomadas à medida que os casos concretos justifiquem. Para o governador, as medidas mais drásticas só se justificam em caso de transmissão comunitária, o que não se registrou na Bahia.

“A medida crescerá quando, por exemplo, uma cidade tiver transmissão comunitária. Teve transmissão comunitária em Salvador, por exemplo, nós podemos suspender todo transporte de outros municípios para Salvador, ou seja fechar a rodoviária não sai mais ninguém para outros municípios. É uma medida que pode ser adotada se nós tivermos transmissão em Salvador, evitando que se espalhe no estado. Se algum município tiver, eu posso mandar transporte público para aquela cidade e até para a capital”, exemplificou Rui Costa.

O governador da Bahia não descarta que, em algum momento, seja imperioso fechar tudo, como locais de lazer e o comércio, mas que isso vai depender do agravamento da situação. “As medidas serão anunciadas de acordo com a situação concreta que se justificar. Podemos chegar ao momento de mandar fechar tudo, bares, restaurantes, mas a decisão não é por uma semana. Eu não estou me reunindo semanalmente para tomar decisão, estou me reunindo todos os dias e todos os dias vão ter decisões vinculadas aos acontecimentos daquele dia. A estratégia é muito clara e nós vamos responder com os problemas concretos que estiverem acontecendo”.

OUÇA A FALA DO GOVERNADOR RUI COSTA

“Para mim, a posição mais cômoda, mais fácil, para um governador seria fechar tudo. Mas eu tenho que dizer para a pessoas que ganham com seu trabalho diário, como um ambulante, quem conhece a vidas dessas pessoas sabe que eles vendem durante o dia é com aquele dinheirinho que ele vai comprar o feijão, o arroz que ele vai cozinhar pros filhos. Então, eu não posso antecipar decisões e fechar tudo, inclusive o comércio, eu vou dizer o que a essas famílias. O estado, a Bahia, não tem condições de fazer um programa emergencial de distribuição de renda para garantir que 15 milhões de pessoas fiquem sem trabalhar. A medida crescerá quando, por exemplo, uma cidade tiver transmissão comunitária. Teve transmissão comunitária e Salvador, por exemplo, nós podemos suspender todo transporte de outros municípios para Salvador, ou seja fechar a rodoviária não sai mais ninguém para outros município, é uma medida que pode ser adotada se nós tivermos transmissão em Salvador, evitando que se espalhe no estado. Se algum município tiver eu posso mandar transporte público para aquela cidade e até para a capital. As medidas serão anunciadas de acordo com a situação concreta que se justificar. Podemos chegar ao momento de mandar fechar tudo, bares, restaurantes, mas a decisão não é por uma semana. Eu não estou me reunindo semanalmente para tomar decisão, estou me reunindo todos os dias e todos os dias vão ter decisões vinculadas aos acontecimentos daquele dia. A estratégia é muito clara e nós vamos responder com os problemas concretos que estiverem acontecendo.”

 

Author: Giorlando Lima

Jacobinense, conquistense, itabunense, baiano, brasileiro. Pai de Giorlando e Alice, minhas razões de viver; profunda e eternamente apaixonado pela vida. 58 anos de idade, 42 de labuta como jornalista, publicitário, marqueteiro, blogueiro. Minha ideologia é o respeito, minha religião é o amor.

1 thought on “Governador não descarta fechar tudo, mas pede serenidade e olhar social nas decisões sobre o coronavírus

Comente