Anúncios

Em reunião on-line com prefeitos Rui Costa diz que comércio pode ficar aberto em cidades sem caso do coronavírus


Em reunião por videoconferência, usando o canal do Governo do Estado no YouTube, o governador Rui Costa falou sobre as medidas que estão sendo tomadas por cada município e disse que as restrições podem ser gradativas. Ele disse que não mandou fechar rodovias, porque “não ajuda em nada”. Rui também sugeriu que o comércio não seja completamente fechado em cidades que não tenham registrado caso do novo coronavírus e recomendou mudanças no funcionamento das feiras livres para elas não parem.

“É aumentar os espaços entre feirantes, mudar a feira, ou espalhar a feira por vários espaços na cidade. Porque o agricultor precisa vender. A mesma coisa vale para o comércio”, disse o governador. Sobre as escolas, ele ressaltou que nenhuma deve ser reaberta agora.

Rui Costa afirmou que faz sugestões quanto às medidas de isolamento social, mas que os prefeitos têm a autonomia para adotar medidas que julguem mais acertadas. “Em minha opinião, as restrições têm que ser progressivas e gradativas, de acordo com a evolução do surgimento de casos em cada um dos municípios. O fechamento dos terminais rodoviários, por exemplo, só determinei em cidades com casos confirmados. Cidades que não tenham casos confirmados podem manter algumas atividades, como feiras livres, e evitar medidas mais drásticas, inicialmente”, aconselhou.

Rui Costa advertiu, no entanto, que certas atividades não devem ser retomadas em nenhuma localidade do território baiano. “As aulas de qualquer cidade não devem voltar porque as escolas concentram, diariamente, um volume enorme de pessoas. Dessa forma, apenas um aluno infectado pode passar para os demais colegas e familiares, gerando um grande número de casos naquela cidade. Shows e festas também não podem ser realizados, nesse momento”, alertou o governador.

Sobre o fechamento de rodovias, Rui Costa foi categórico. “Nossa orientação não é fechar rodovias. Isso não ajuda em nada. Muito pelo contrário, pode causar problemas de abastecimento, pois precisamos manter a comunicação e a circulação daqueles que, nesse período, precisam de fato ir e vir, como pessoas que fazem tratamentos de saúde em municípios diferentes de onde residem”, frisou o governador.

O governador finalizou a videoconferência reforçando que é um momento de união. “A maior força da Bahia tem sido a união, união do Estado com as Prefeituras, e é preciso que isso continue a ser assim. Os 15 milhões de baianos representam 8% da população brasileira e, em número de casos, estamos apenas com 3,5% dos casos de coronavírus de todo o país. Esse índice baixo é resultado dessa parceria e esse entendimento deve ser contínuo”, concluiu Rui,


COM TEXTO E FOTO DA SECRETARIA DE COMUNICAÇÃO DO GOVERNO DA BAHIA | CRÉDITO DA FOTO: AUGUSTO VIVAS

Anúncios

Comente

%d blogueiros gostam disto: