Artigo | Situação do coronavírus tende a se agravar em Conquista com a liberação, mesmo parcial, do comércio


Claudio Carvalho – Professor Titular de Direito Ambiental, Urbanístico e Agrário do Curso de Direito da UESB

A Prefeitura Municipal de Vitória da Conquista, através do seu prefeito Herzem Gusmão, autorizou parcialmente o funcionamento do comércio a partir do dia 6 de abril [segunda-feira].

O Coronavírus (Covid -19) é transnacional, transpessoal, invisível e imperceptível. Aqui em Conquista a curva de crescimento do vírus não avançou, graças ao isolamento, ainda que pelo período curto. Agora, a tendência é se agravar a situação com a liberação, ainda que em parte, do comércio. A nossa liberdade de ir e vir vem sendo limitada.

O emprego, comércio… Empresários que pedem a liberação do comércio são aqueles que não têm de pegar ônibus. Vão de carro, ficam trancados nos seus escritórios, e os seus funcionários é que estarão em contato com o público.

Eu e muitas pessoas conscientes continuaremos em casa.

Afinal, abrir a porta do comércio para não receber 10% da clientela vale realmente a pena? Só gasta mais na conta de luz e põe em risco sua saúde e da sua família. Do que adianta ter o dinheiro e acabar morrendo?! Só demostram a Ignorância, não apenas em Virologia, mas de como esse mundo funciona. Economia não funciona por decreto. Você não empurra pessoas para rua e tenta fazer de conta que tudo está ajustado.

Essa liberação do comércio a partir de segunda deixará as pessoas pensarem que já acabou. Sim, impressão que temos é que não avançamos para o isolamento total e sim para a liberação parcial do comércio e isso vai colapsar tudo. Infelizmente, pagaremos com vidas.

Em síntese, existe um falso dilema colocado na balança da sociedade – economia ao lado da saúde diante da pandemia do coronavírus. A esmagadora maioria da população quer apenas ficar viva e saudável. A História não esquece os oportunistas e omissos.

Author: Giorlando Lima

Jacobinense, conquistense, itabunense, baiano, brasileiro. Pai de Giorlando e Alice, minhas razões de viver; profunda e eternamente apaixonado pela vida. 58 anos de idade, 42 de labuta como jornalista, publicitário, marqueteiro, blogueiro. Minha ideologia é o respeito, minha religião é o amor.

Comente