Em Conquista 38% dos vereadores mudaram de partido. Mudanças não são novidade. Veja histórico

Não é novidade a migração de vereadores de um partido para outro. Os parlamentos brasileiros nunca foram lá muito ideológicos, as Câmaras de Vereadores menos ainda. Ninguém erra se disser que a grande maioria dos vereadores se move entre as diversas agremiações, a cada eleição, sem, sequer, ler o programa do partido para onde vai. A decisão é e sempre foi baseada em um fator externo, mas preponderante: o quociente eleitoral.

Esqueça ideologia. E dependendo de em quem você votou desista de cobrar coerência ou lealdade partidária. Este ano, oito vereadores da Câmara de Vitória da Conquista pularam a janela e mudaram de partido para disputar as já improváveis eleições de outubro, esse número representa 38% do total dos eleitos em 2016.

A mudança na legislação eleitoral, com o fim das coligações, o que quer dizer que cada partido terá que se virar sozinho para eleger seus candidatos, obrigou os vereadores e pré-candidatos a fazer contas antes de decidir por qual partido concorrer. Até o fim do prazo das filiações e o fechamento da “janela partidária”, que permite aos parlamentares mudarem de partido sem punição, ocorrido no dia 4 (sexta-feira). O resultado foi um troca-troca sem precedentes, envolvendo candidatos à reeleição e pré-candidatos que querem uma vaga na Câmara.

Mas, terá sido esta a primeira vez que os atuais vereadores deixaram os partidos pelos quais foram eleitos e foram para outros, muitas vezes sem qualquer identificação com o partido anterior? Os registros mostram que não.

Veja no quadro quais os partidos por quantos partidos diferentes os atuais vereadores já disputaram eleições.

VEREADOR 1996 2000 2004 2008 2012 2016 2018 PARTIDOS
ADINÍLSON PEREIRA         PSB PSB MDB 2
ÁLVARO PITHON PL PP PSL DEM DEM DEM MDB 5
JORGE BEZERRA   PP PTN PR PMDB SD REP 6
LÚCIA ROCHA PTB PFL PFL DEM DEM DEM MDB 3
HERMÍNIO OLIVEIRA PFL PFL PFL PDT PDT PPS POD 4
SIDNEY OLIVEIRA         PRB PRB REP 1
RODRIGO MOREIRA           PP 1
MÁRCIA VIVIANE           PT PT 1
NILDMA RIBEIRO         PCdoB PCdoB PCdoB 1
VALDEMIR OLIVEIRA           PT PT 1
CORI MORAES       PT PT PT PT 1
FERNANDO JACARÉ     PT PT PT PT PT 1
OSMÁRIO           PMDB MDB 1
DAVID SALOMÃO         PCdoB PTC PRTB 3
DÊNIS DO GÁS           PSC PSC 1
DANILO KIRIBAMBA         PCdoB PCdoB PCdoB 1
CÍCERO CUSTÓDIO           PSL PT 2
LUÍS CARLOS DUDÉ   PMDB       PTB MDB 2
GILMAR FERRAZ           PMDB MDB 2
LUCIANO GOMES       PTN PR PR PCdoB 3
EDJMAIME ROSA (BIBIA) PPB PSL PFL PDT PSDB PMDB MDB 6

Esta reportagem considera as eleições desde 1996, cujos dados estão disponíveis no site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Naquele ano, três dos vereadores atuais foram eleitos: Álvaro Pithon, pelo PL, Hermínio Oliveira, pelo PFL, e Lúcia Rocha, pelo PTB. Na eleição seguinte, em 2000, Álvaro já estava no PP, Hermínio continuou no PFL, para onde Lúcia foi.

Na eleição de 2000, há 20 anos, Edjaime Rosa, mais conhecido como Bibia, foi eleito pela primeira vez. Ele estava no PSL, hoje conhecido por ter sido o partido pelo qual Jair Bolsonaro foi eleito e com quem se meteu em uma polêmica que ainda não acabou. Em Conquista, o PSL chegou a criar fama, mas se a polêmica com Bolsonaro não acabou, aqui o partido acabou, depois ter sido, em 2012 e 2016, linha auxiliar do PT no município.

Quatro anos depois, em 2004, seis dos eleitos na eleição anterior conseguiram se reeleger. Lúcia Rocha, que continuou no PFL; Alexandre Pereira, que saiu do PDT para o PT; Lygia Matos, que se manteve no PT; Irma Lemos, que mudou do PP para o PFL; José William Nunes, que se transferiu do PMDB para o PFL e Edivaldo Ferreira, que fez a rota contrária. Bibia, Álvaro, Vivi e Hermínio ficaram no caminho. Mas, deles, três tinham mudado de partido mais uma vez: Álvaro, do PP para o PSL, Vivi Mendes do PP para o PT e Bibia, do PSL para o PFL. Foi a primeira eleição disputada pelo atual presidente da Câmara, Luciano Gomes, pelo PTN.

De 2004 para 2008 só quatro vereadores conseguiram manter as cadeiras na Câmara. Lúcia Rocha, que nunca mais saiu, Fernando Jacaré, Alexandre Pereira, Joel Fernandes e Fabrício Falcão. Todos nos mesmos partidos da eleição anterior, ocorrendo, no caso de Lúcia, apenas a mudança do nome de PFL para DEM. Mas, o novato Luciano Gomes se elegeu por um partido diferente do anterior, tendo saído do PTN para o PR.

Em 2012, oito dos parlamentares, 57%, se reelegeram e nenhum mudou de partido, mas dois dos que voltaram depois de perder a eleição anterior, Irma Lemos e Bibia, não estavam mais nas agremiações pelas quais disputara em 2018. Irma saiu do DEM para o PTB e Bibia do PDT para o PSDB.

Dos 19 vereadores eleitos em 2012, apenas dez foram reeleitos em 2016, sete pelos mesmos partidos pelos quais exerceram os mandatos entre 2012 e 2016 – Álvaro Pithon e Lúcia Rocha, pelo DEM, Fernando Jacaré e Cori Moraes, pelo PT; Luciano Gomes (PR), Sidney Oliveira (PRB) e Adinílson (PSB). Cicero Custódio saiu do PV para o PSL, Bibia do PSDB para o PMDB e Hermínio Oliveira do PDT para o PPS.

Dois dos que mudaram de partido para disputar a eleição em 2016 mudaram de novo agora, para tentar a reeleição em outubro: Hermínio saiu do Cidadania (novo nome do PPS) para o Podemos e Cícero Custódio do PSL para o PT. Mas, outros seis migraram, impelidos pelas contas eleitorais. Lúcia Rocha deixou o DEM e foi para o MDB do prefeito Herzem Gusmão, mesmo caminho do seu correligionário Álvaro Pithon, de Luís Carlos Dudé, que se elegeu pelo PTB em 2016, e Adinílson Rodrigues, que era PSB. Jorge Bezerra foi do Solidariedade pra o Republicano e Luciano Gomes do PL (novo nome do PR) para o PCdoB.

O PMDB PASSOU A SE CHAMAR MDB; O PRB AGORA É REPUCLICANOS (REP, NA TABELA), ASSIM COMO PPS VIROU CIDADANIA E O PR PASSOU A SER PL. O DEM É O ANTIGO DEM.

Author: Giorlando Lima

Jacobinense, conquistense, itabunense, baiano, brasileiro. Pai de Giorlando e Alice, minhas razões de viver; profunda e eternamente apaixonado pela vida. 58 anos de idade, 42 de labuta como jornalista, publicitário, marqueteiro, blogueiro. Minha ideologia é o respeito, minha religião é o amor.

Comente