Herzem vai reavaliar no sábado reabertura do comércio e anuncia leitos em hospitais privados para a Covid-19

A maioria da população não recebeu bem a decisão do prefeito Herzem Gusmão de autorizar a reabertura o comércio, em Vitória da Conquista, com um rodízio das lojas de rua. Na internet e redes sociais a reação mostra que os moradores da cidade temem que a medida provoque o aumento na velocidade de contaminação pelo novo coronavírus. Memes surgiram propondo à população desobdecer ao prefeito e campanhas propõem pressonar Herzem para voltar atrás na medida. Vitória da Conquista já registra, oficialmente, seis casos confirmados, de acordo com boletim divulgado no final da tarde de ontem.

Internautas reconhecem que o prefeito agiu bem ao manter suspenso o funcionamento de escolas, bares, restaurantes e academias, mas criticam a reabertura das lojas. A polêmica envolveu até o secretário estadual de Saúde, Fábio Vilas-Boas que, em entrevista à TV Bahia disse que achou muito ruim a decisão de Herzem e conclamou a população a não ir ao comércio. “Se a população de Vitória da Conquista estiver me ouvindo, não vá pra rua, não vá pro comércio”, pediu o secretário.

Também o Conselho Municipal de Saúde emitiu nota pública se posicionou contrário ao decreto, considerando que a decisão do governo de reabrir o comércio “tem motivação de natureza econômica, que contrasta com o perfil de risco de contágio comunitário evidente na atual pandemia. Assim, entre a saúde financeira e a saúde humana, urge que se eleja a segunda, tendo por premissa que a economia esteja para a vida e não a vida para a economia”.

O BLOG entrou em contato o prefeito Herzem Gusmão para saber como ele analisou as reações contrárias à medida adotada e se há possibilidade de ela ser revista. Ele evitou responder diretamente às críticas e defendeu a decisão. Segundo Herzem, ele circulou para cidade e viu, como já era esperado, mesmo depois da liberação, que as lojas abertas não tinham aglomeração, mas que isso ocorre em bancos, lotéricas e atacadões.

O prefeito de Vitória da Conquista citou Curitiba como exemplo para justificar sua medida, destacando que na capital paranaense, o prefeito Rafael Greca estuda medidas para reabrir o comércio de rua, que teria sido fechado por decisão espontânea dos lojistas. Herzem disse ainda que a semana será monitorada e está confiante de que o rodízio das lojas por turnos de segmentos vai dar certo. Para o prefeito, como vários exames ainda aguardam liberação da Sesab, antes da reabertura do comércio ja deviam existir vários casos não divulgados. Mesmo assim, no sábado (11), a medida será reavaliada. “Vai funcionar até quinta, sexta será feriado e sábado não se aplica o decreto [para as lojas], vai ser quando nos reuniremos para avalir o que fazer”.

Herzem revelou que o governo municipal está tomando outras medidas para o enfrentamento do novo coronavírus e se preparando para o aumento dos casos e adiantou que “se necessário, além do hospital privado que a Sesab disponibilizará, a Prefeitura disponibilizará leitos nos hospitais São Vicente e Unimec para receber pacientes com a Covid-19.

Ele contou que o Núcleo de Tecnologia e Informação da Prefeitura criou um programa que permite à Secretaria Municipal de Saúde (SMS) monitorar, bairro a bairro, as pessoas que procuram os postos de saúde com suspeita de Covid-19. Segundo o prefeito, o programa “permite o monitoramentos de pessoas, desde um simples sintoma, tipo tosse, espirro, coriza a falta de ar. Dos postos de saúde os pacientes serão encaminhamos para o Núcleo de Assistência ao Coronavírus [que está sendo implantado em prédio que seria do CAPS, na Avenida Integração], que entrará em operação até a próxima quinta-feira (9)”, assegurou.

 

Author: Giorlando Lima

Jacobinense, conquistense, itabunense, baiano, brasileiro. Pai de Giorlando e Alice, minhas razões de viver; profunda e eternamente apaixonado pela vida. 58 anos de idade, 42 de labuta como jornalista, publicitário, marqueteiro, blogueiro. Minha ideologia é o respeito, minha religião é o amor.

Comente