Conquista | Centro de Atenção ao Coronavírus que começa a funcionar hoje será uma unidade intermediária

Sem respiradores ou leitos de terapia intensiva (ou mesmo semi) o Centro Municipal de Atenção ao Coronavírus (Covid-19) implantado pela Prefeitura de Vitória da Conquista não funcionará como hospital de campanha ou unidade de pronto atendimento, como se chegou a pensar, mas será um posto intermediário para atendimento a pacientes que já tiverem passado por uma unidade de saúde.

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), o Centro de Atenção ao Coronavírus, localizado na esquina das avenidas Integração e Régis Pacheco e que começa a funcionar nesta quarta-feira (22), a partir das 14h00, funcionará como triagem, regulação. A unidade tem uma equipe composta de médico, enfermeiro, técnico de enfermagem, recepcionista e pessoal da higienização.

São 22 leitos para atendimento a pacientes leves e moderados e uma sala vermelha para o caso de surgir algum paciente em estado grave. “Lembrando que estes pacientes serão regulados para os hospitais credenciados ao município”, explica a nota da SMS enviada ao BLOG.

Como o equipamento não é porta aberta, os pacientes devem procurar as unidades de saúde e serão referenciados para lá. Diz a Secretaria Municipal de Saúde que a unidade passou por estruturação durante duas semanas. O município recebeu doações de macas, porém, de acordo com as declarações da SMS, “teve que comprar outros materiais, Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), medicamentos, laringoscópio, termômetros, soro, etc.) para dotar o Centro Municipal de Atenção ao Coronavírus (Covid-19 de condições para atender os pacientes, além de realizar seleção de profissionais para atender os pacientes.

Nem a SMS nem a Secretaria de Comunicação (Secom) esclareceram quando e como ocorreu a seleção de pessoal que vai trabalhar no centro.

INTERMERDIÁRIO

Profissional de saúde ouvida pelo BLOG destaca a iniciativa do governo municipal, porque “neste momento toda ação ou atividade com o objetivo de aumentar a oferta de atendimento é louvável”, mas faz uma ressalva: “Se o paciente que está sentindo sintomas do coronavírus é atendido no posto de saúde por um médico ele já deveria sair de lá com o encaminhamento necessário. A depender da gravidade, hospital, UTI, etc., e se possível de ser monitorado em domicílio, mandado para casa”. De acordo com a fonte, que pediu para permanecer no anonimato, “temendo retaliações”, o centro de atenção passa a ser uma etapa a mais. “O ideal é que já fosse um centro avançado, que é a maior necessidade agora”.

Author: Giorlando Lima

Jacobinense, conquistense, itabunense, baiano, brasileiro. Pai de Giorlando e Alice, minhas razões de viver; profunda e eternamente apaixonado pela vida. 58 anos de idade, 42 de labuta como jornalista, publicitário, marqueteiro, blogueiro. Minha ideologia é o respeito, minha religião é o amor.

Comente