Em grupo que tem Salomão, Pastor Sidney e Rodrigo Moreira, vereadores do PT se destacam na defesa da reabertura do comércio

Cresce o movimento de políticos em defesa da abertura do comércio em Vitória da Conquista. Com argumentos que variam de intensidade, mas todos na mesma linha, de que o fechamento da maioria dos estabelecimentos de varejo (supermercados e congêneres) além de sacrificar os comerciantes prejudicam a economia como um todo, piorando uma situação que já era ruim antes da pandemia do coronavírus. Ao grupo que, legitimamente, deseja o retorno da sua atividade econômica, juntam-se vereadores de vários partidos, tendo na maioria dos parlamentares do PT, os mais enfáticos.

Os vereadores adotam posição corajosa, pois sabem que cerca de dois terços da população quer até mais restrição que a atual, deseja ver a cidade cada vez com menos gente, aglomerações, riscos, diante do aumento de casos confirmados e óbitos no Brasil, na Bahia e em Vitória da Conquista.

Além do vereador e pré-candidato a prefeito, David Salomão (PRTB), que é contra o fechamento do comércio e o isolamento horizontal desde o início, na linha do presidente Jair Bolsonaro; Rodrigo Moreira (PP), que tem apresentado inúmeros projetos de lei sugerindo mecanismos de enfrentamento à crise e do Pastor Sidney Oliveira, que é do Republicanos, mesmo partido dos filhos de Bolsonaro, se somaram ao coro dos que querem a reabertura das lojas  vereadores do PT. Da bancada, apenas Márcia Viviane não se manifestou nas últimas sessões sobre o assunto, e o recém-filiado Cícero Custódio indicou não ser a favor – pelo menos agora.

Em recente sessão, diante da defesa da reabertura do comércio feita pelo vereador Coriolano Moraes, Sidney Oliveira disse que fazia dele as palavras do colega do PT. “Sou a favor de que o comércio volte a funcionar de forma gradual, pois as pessoas preferem trabalhar a receber auxílio dos governos, não podemos permitir uma epidemia no comércio, com pessoas desempregadas, cometendo suicídio, precisamos entender que as contas chegam e embora os governos estejam fazendo esforços para minimizar a situação, não vai ser o suficiente”, opinou Sidney.

Para David Salomão, a medida de suspensão temporária das atividades de parte do comércio e serviços não essenciais é inconstitucional. “A Câmara de Conquista precisa agir porque esse decreto de fechamento do comércio é inconstitucional”, disse o vereador na sessão do dia 2, realizada remotamente. Para o vereador, “essa é uma guerra ideológica político-partidária, temos que defender o comércio que mantém a Câmara Municipal, a prefeitura e todos os serviços públicos essenciais”.

Alguns dos vereadores que querem o comércio reaberto usam expressões fortes nos discursos, mas sem indicativos ou sugestões de como fazer. Para o vereador Coriolano Moraes (PT), por exemplo, a Prefeitura precisa ter um “plano técnico para assegurar a reabertura gradual do comércio”, mas não explica o que seria gradual. Uma loja por vez? Uma área comercial da cidade por dia? Na verdade, Cori esquece que essa abertura gradual vem acontecendo a cada de decreto municipal, com acréscimo de estabelecimentos como essenciais. Para justificar sua posição, o vereador petista menciona a situação nacional de desemprego para dizer que “a pandemia agravou a situação. O comércio está fechado há 40 dias, é preciso pensar o retorno gradual do comércio urgente, porque a situação econômica tende a se agravar”.

Já Valdemir Dias (PT) afirmou que a preocupação com comerciantes, sobretudo os menores é grande, pois o segmento já sofre os impactos da pandemia, de acordo com matéria publicada no site da Câmara de Vereadores de Vitória da Conquista. Ainda assim, ele alertou para a necessidade de balizar a decisão de abrir ou não o comércio em critérios técnicos e científicos.

Ainda segundo a matéria divulgada pela Assessoria de Comunicação da Câmara outro vereador do PT, Fernando Jacaré, na audiência pública realizada por videoconferência, segunda-feira (27), cobrou da Prefeitura a elaboração de regras para reabrir gradualmente o comércio. Ele avalia que a gestão municipal deve se abrir para o diálogo. “Nós estamos abertos para somar”, disse o petista.

O vereador Cícero Custódio, que se filiou ao PT no começo de abril, demonstrou preocupação com a possibilidade de reabertura do comércio, pois, segundo ele, as cidades que decidiram por flexibilizar tiveram aumento no índice de contaminação pelo coronavírus. “Precisamos ter cuidado, as pessoas estão na rua, nas filas dos bancos, por necessidade, a gente vê pessoas passando dificuldades nos bairros periféricos e na zona rural.

Preocupação parecida apresentou a vereadora Márcia Viviane, líder da oposição na Câmara Municipal. Ela cobrou da Prefeitura o plano de trabalho para enfrentamento da pandemia e destacou que a maior autoridade sanitária do município é a Secretaria Municipal de Saúde, “que deve dar uma resposta consistente sobre quais medidas devem ser adotadas”. Viviane alertou que Vitória da Conquista não está em isolamento total, já que muitos estabelecimentos comerciais seguem abertos, mesmo com o decreto municipal que determina o fechamento.

Adinilson Pereira filiado ao MDB do prefeito Herzem Gusmão no começo do mês, na janela aberta pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), foi mais um que falou de sua preocupação com a reabertura do comércio. `Para ele, a medida precisa ser debatida tendo a responsabilidade como fator norteador.  “Estamos vendo uma calamidade pública mundial. Devemos ter cuidado”, alertou. “Vamos trabalhar, lutar, ver o lado do comércio, mas vamos também ter muita preocupação com a saúde”, disse.

“Quando olhamos as redes sociais, os jornais, ficamos assustados. Eu não sou contra o comércio estar aberto, mas eu acredito que esse momento não seria ideal para que o comércio estivesse aberto”, disse o vereador, acrescentou: “É através do distanciamento social que o prefeito tem colocado esse decreto em nossa cidade para o bem de todos”, emendou Adinilson, em apoio à postura do Governo Municipal.

O vereador Rodrigo Moreira, um dos porta-vozes do movimento a favor da reabertura disse na audiência que a Prefeitura “fechou o comércio sem se preocupar com as consequências, sem buscar mecanismos de retaguarda para evitar o desemprego”. Rodrigo foi um dos que usaram expressões trabalhadas para defender seu ponto de visto, pediu a reabertura das lojas com base nos critérios de segurança da OMS e do Ministério da Saúde. “Os próprios comerciantes serão os fiscais para impedir que as pessoas entrem nas lojas sem máscaras, sem usar o álcool gel, é preciso flexibilizar porque o comércio terá dificuldade de retornar com a força que tinha”, enfatizou o vereador do PP, que já disse que não disputará a reeleição.

CENÁRIO DO CORONAVÍRUS EM CONQUISTA

De acordo com boletim da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), foram registrados até 17h00 desta quarta-feira (29) 31 casos confirmados da Covid-19 no município. Destes, três evoluíram a óbito, 24 estão recuperados e quatro ainda estão em tratamento. Nas últimas 24 horas surgiram 16 novas notificações e a quantidade de casos suspeitos saiu de 95 para 101, com 60 aguardando resultado de exame e 41 aguardando coleta de material para o teste.

Author: Giorlando Lima

Jacobinense, conquistense, itabunense, baiano, brasileiro. Pai de Giorlando e Alice, minhas razões de viver; profunda e eternamente apaixonado pela vida. 58 anos de idade, 42 de labuta como jornalista, publicitário, marqueteiro, blogueiro. Minha ideologia é o respeito, minha religião é o amor.

Comente