Notícia que ninguém deseja: Vitória da Conquista aumenta taxa de infecção por coronavírus rapidamente

BANNER - SITES INTERIOR - 728X90PX - MAIS EDUCAÇÃO BAHIA 0420

BANNER_728x90_GIF

O número de casos de Covid-19 em Vitória da Conquista pode ser considerado baixo, 35. Isso quando se leva em conta critérios como a população do município e a localização geográficas da cidade, cortada por uma rodovia federal e centro de uma região com quase cem municípios e mais de um milhão de pessoas. Vitória da Conquista é o oitavo em número de casos na Bahia.

Apesar dos poucos casos, comparando com cidades do seu porte e avaliando as características regionais e sociais já mencionadas, no entanto, Vitória da Conquista é o quinto município baiano em número de mortos, com quatro óbitos – assim como Uruçuca e abaixo de Salvador (80), Itabuna (6), Ilhéus e Lauro de Freitas (5). E tem um das maiores taxas de letalidade do país: 11,42%. É como se houvesse um óbito para cada grupo de 8,75 pessoas que adoecem. A taxa de letalidade do estado da Bahia é 3,60% e a do Brasil é 6,94%.

É comum pessoas reagirem contrariadas quando o BLOG publica os números do coronavírus. Uma parte quer que as matérias tragam apenas as “notícias boas”, como a quantidade de pacientes recuperados da Covid-19. Outros se queixam das informações que se sucedem sobre o aumento de casos, não apenas em Vitória da Conquista, mas na Bahia e no mundo. Pedem que publiquemos, por exemplo, que 268 cidades do estado ainda não registraram contaminação pelo novo coronavírus, porque isso, na visão dessas pessoas, seria mais importante do que mostrar que 36% dos municípios já têm casos de confirmados e que em quase 8% deles já morreram pacientes com Covid-19.

Infelizmente, a propagação do novo coronavírus ainda não parou e deve demorar muito para que possamos considerar que essa situação passou. Não dá para saber quantas cidades terão pessoas infectadas ou ficarão livres da doença, mas o fato é que ela está proliferando, não chegou ainda ao pico na Bahia – e ainda menos em Conquista – e, portanto, o achatamento da curva pode estar distante.

A evolução da Covid-19 em Vitória da Conquista dá sinais de que momentos muito pesados estão chegando. Os dados são preocupantes e indicam que o mês de maio será muito ruim. Os indicativos vêm dos números da última semana. Além da alta taxa de letalidade, também aumentou muito quantidade de notificações, a média passou de seis novas por dia para 12,71. Isso significa que mais gente que sentiu os sintomas da Covid-19 procuraram a Secretaria Municipal de Saúde. As notificações são os casos suspeitos.

Mas, o que desperta a atenção neste momento é a taxa de contaminação, que aumentou à média de um caso por dia, nos últimos 30 dias. No dia 4 de abril a quantidade de notificações estava em 559, no domingo (3) eram 648, 116% a mais. Já os casos confirmados eram cinco e passaram a 35, aumento de 600%. Para não parecer mera especulação mostrar um percentual tão alto é importante lembrar que entre 27 de fevereiro, quando surgiram as primeiras suspeitas em Vitória da Conquista, e o dia 13 de março, nenhum caso confirmado foi registrado. E do dia 13 de março até 28 de abril, 46 dias depois, manteve-se um caso apenas.

PERÍODO DE 30 DIAS

SÁB (4/4) DOM (3/5) CRESC. %

MÉDIA

NOTIFICAÇÕES

229 648 419 182,9

14,8

DESCARTADOS

114 536 422 370

57,14

CONFIRMADOS

5 35 30 600

1

CURADOS

-* 26 26

0,86

ÓBITOS

0

4

4

0,13

* DADO NÃO FORNECIDO NA DATA

SEMANA MAIS RECENTE SEG, 27/4 TER, 28 QUA, 29 QUI, 30 SEX, 1º/05 SÁB, 2 DOM, 3

MÉDIA

NOTIFICAÇÕES

559 (+20) 594 (+35) 610 (+16) 625 (+15) 633 (+8) 640 (+7) 648 (+8)

(89) 12,71

DESCARTADOS 455 (+3) 463 (+8) 478 (*15) 478 (-) 495 (+17) 496 (+1) 536 (+40)

(81) 11,57

CONFIRMADOS 30 (+2) 31 (+1) 31 (-) 31 (-) 33 (+2) 34 (+1) 35 (+1) (5) 0,71

ÓBITOS

1 (-) 3 (+2) 3 3 3 3 4 (+1)

(3) 0,42

SEMANA ANTERIOR SEG (20) TER (21) QUA (22) QUI (23) SEX (24) SÁB (25) DOM (26)

Média 7

NOTIFICAÇÕES

507 (5) 512 (5) 519 (7) 526 (7) 533 (7) 539 (6) 543 (4)

(36) 5,14

DESCARTADOS

408 (14) 413 (5) 420 (7) 433 (13) 433 (13) 452 (19) 452 (-)

(44) 6,28

CONFIRMADOS

23 26 (3) 26 26 28 (2) 28 (-) 28 (-)

(5) 0,71

ÓBITOS

1 1 1 1 1 1 1

POR CONTA DE CADA UM

Em uma crise como a pandemia do coronavírus, que altera a vida de todas as pessoas, gera incertezas econômicas e sociais, os sentimentos são variados. Há os que ouvem o presidente Bolsonaro – que chama de “gripezinha” a doença que já matou mais sete mil pessoas no Brasil – e querem o fim do isolamento social, comércio e atividades econômicas funcionando em sua plenitude. Há os que estão angustiados com o futuro de suas empresas e de seus empregos e, compreensivelmente, querem lojas abertas, querem trabalhar. E a maioria, que sofre com a incerteza de quanto tempo a pandemia vai durar e com o medo de perder familiares ou a própria vida para o coronavírus, quer, se possível, fechar mais, fazer com que as pessoas fiquem em casa.

Para todos, inclusive a imprensa, o desejo é de que as notícias sejam boas. Porém, em uma situação como a atual é muito difícil evitar a publicação de notas tristes, do aumento de casos, dos óbitos nas cidades, no estado, no país. E mesmo o anúncio do aumento de pacientes curados tem a ver com a parte ruim. O fato de pessoas ficarem curadas corresponde diretamente ao fato de que foram infectadas e adoeceram da Covid-19. Uma coisa é reflexo da outra.

É muito bom saber que a cada 100 pessoas que sentem os sintomas do coronavírus em Vitória da Conquista, 82 saem da lista. São os casos descartados, que correspondem a 82,71% das notificações. Isso é um alívio, como é confortante saber que dos 35 pacientes que adquiriram o novo coronavírus, 26 estão curados, apresentado em termos percentuais é ainda mais impactante: 74%. Mas, como dito acima, só há pacientes curados porque existem o vírus e a doença, que são a mesma causa das mortes.

O único jeito de evitar a causa das mortes e o que leva as pessoas que se curam aos hospitais é evitando se expor e de expor os demais. É ficar em casa e só sair se não tiver jeito. Saindo, usar máscara, evitar tocar em objetos, corrimãos, maçanetas, manter distância das outras pessoas. E usar álcool gel e muita água e sabão.

Assim, as notícias boas voltarão mais rápido. Por enquanto, mostrar a realidade como aviso é o que a imprensa pode fazer. Sem fake news, sem sensacionalismo, com informações de credibilidade, com fontes oficiais e sérias. Esta matéria, por exemplo, traz um dado que deve ser levado a sério. Não dá para evitar que ele assuste, mas se isso acontece, a ideia é usar o susto como alerta. E torcer para que os próximos boletins mostrem uma realidade, ainda que momentânea, diferente da que abordamos.

FONTES: BOLETIM DA SESAB E BOLETIM DA SMS

 

Author: Giorlando Lima

Jacobinense, conquistense, itabunense, baiano, brasileiro. Pai de Giorlando e Alice, minhas razões de viver; profunda e eternamente apaixonado pela vida. 58 anos de idade, 42 de labuta como jornalista, publicitário, marqueteiro, blogueiro. Minha ideologia é o respeito, minha religião é o amor.

1 thought on “Notícia que ninguém deseja: Vitória da Conquista aumenta taxa de infecção por coronavírus rapidamente

  1. Entendemos a preocupação de todos, agora é de se analisar. Pois tem casos confirmados que estavam em espera do resultado do LACEN. E tem uma boa quantidade de curados, diferente de cidades como Jequié, que só aumentam os casos e os curados permanecem os mesmos.

Comente