Com 35 casos de Covid-19 Vitória da Conquista deve comemorar ou temer? Entenda.

BANNER_728x90_GIF
Por dois dias, terça e quarta-feira, 5 e 6, o Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen), ligado à Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab), localizado em Salvador, enviou a Vitória da Conquista apenas dois resultados de exames de casos suspeitos de infecção pelo novo coronavírus.  Em seu boletim diário, emitido no início da noite (6), a Prefeitura de Vitória da Conquista informou que o número de casos confirmados continuava em 35, mas ressalvou que o Lacen não divulgara nenhum resultado naquele dia.

Para quem acompanha a evolução do coronavírus no município essa ressalva é importante. A quantidade de casos, considerada baixa para um município do porte de Vitória da Conquista, que teve seu primeiro registro de Covid-19 há 37 dias (1º de abril), tem sido usada como argumento para quem propõe o relaxamento das medidas de isolamento social, como o fim das restrições para o funcionamento do comércio.

Ao mesmo tempo é grande a preocupação de que o número de casos seja bem maior, em decorrência da subnotificação causada pela falta de testes (coleta com swab para exames do tipo RT-PCR, diferente dos testes rápidos).

Na verdade, não é impossível que Vitória da Conquista esteja nessa condição mostrada pelos boletins, com apenas 35 casos. Não seria uma exceção. A Bahia tem 63% dos municípios livres da Covid-19. Municípios populosos como Barreiras (155.439 habitantes) e Santo Antônio de Jesus (101.512) registraram, até ontem 17 horas, apenas um caso. E em Barreiras isso foi há 45 dias. Entretanto, Vitória da Conquista tem dois motivos para ficar preocupada com a contabilidade dos casos não ser real.

Primeiro, o número de mortes, quatro confirmadas e uma suspeita, que, se confirmada, elevará a quantidade de casos para 36 e a taxa de letalidade local para 13,88, mais que o dobro da taxa do país (6,72%), que já é uma das maiores do mundo, e quase quatro vezes maior que a da Bahia (3,72%). E quando a cidade não tinha casos graves e mortes essa era uma linha de argumento para justificar os baixos números apresentados: se houvesse mais casos dos que os apresentados nos boletins mais gente estaria nos hospitais ou morrendo. A relação invertida significar que a quantidade de pessoas doentes e não notificadas seria bem maior? Sim.

O outro motivo é o prazo que o Lacen, único responsáveis pelos exames laboratoriais na Bahia, até agora, leva para mandar os resultados de volta. Do dia 1º de maio até ontem, de 141 testes feitos e enviados para Salvador, 67 (47,5%) resultados chegaram a Vitória da Conquista, pouco mais de uma média de 11 por dia. Neste momento, estão no Lacen 73 amostras de material de pacientes com suspeita da Covid-19, na média de respostas verificada é provável que os resultados desses testes cheguem até o dia 12.

O número crescente de casos em todo o estado sobrecarrega o laboratório, por isso, a Sesab autorizou a descentralização e laboratórios municipais em cinco cidades baianas poderão realizar exames que detectam a Covid-1: Vitória da Conquista, Porto Seguro, Jequié, Paulo Afonso e Barreiras, sendo este último em parceria com a Universidade Federal do Oeste (Ufob). O início das atividades no Laboratório Central Municipal de Vitória da Conquista (Lacem) era esperado para esta semana, mas ainda não aconteceu. Segundo a Sesab, será possível realizar mais de 90 testes da Covid-19 diariamente, de 74 municípios da região, não apenas de Vitória da Conquista.

A autorização para que o laboratório público conquistense faça exames laboratoriais (e emita laudos) pode dar mais clareza às estatísticas e dizer se o que ocorre em Vitória da Conquista é uma tendência ou mera consequência da subnotificação. Com a entrada do Lacem na operação, os resultados devem sair em até 48 horas, hoje o prazo mínimo é de 144 horas (seis dias).

Considerando o tempo entre a chegada do material coletado a Salvador e o envio do resultado a Vitória da Conquista, é possível que quando o Lacem conquistense estiver apresentando resultados, dezenas ainda estarão em Salvador. Ontem, no final da tarde, havia 41 pacientes com suspeita de coronavírus aguardando coleta de material para exame, segundo boletim da Secretaria Municipal de Saúde. O BLOG perguntou à coordenadora do Núcleo Regional de Saúde do Sudoeste, Karoline Rebouças se o Lacem já estava realizando os exames para Covid-19. Ela respondeu que “já está se iniciando”, mas não prosseguiu a conversa e não disse quando.

Author: Giorlando Lima

Jacobinense, conquistense, itabunense, baiano, brasileiro. Pai de Giorlando e Alice, minhas razões de viver; profunda e eternamente apaixonado pela vida. 58 anos de idade, 42 de labuta como jornalista, publicitário, marqueteiro, blogueiro. Minha ideologia é o respeito, minha religião é o amor.

Comente