Por causa do coronavírus | Itapetinga decide “fechar” a cidade com barreiras sanitárias. Conquista optou por orientação

BANNER_728x90_GIF

A Prefeitura de Itapetinga decidiu que não entra mais ninguém de fora na cidade, depois de uma análise do perfil dos casos confirmados de Covid-19 em que foi constatado que todos as contaminações tiveram origem em outros municípios. Segundo o governo municipal, para evitar o aparecimento de novos casos e maior circulação do vírus, as barreiras sanitárias serão intensificadas e, a partir de segunda-feira, 11, está proibida a entrada de pessoas de outros municípios em Itapetinga.

Para barrar os eventuais visitantes, a Prefeitura contratou uma empresa de segurança particular, que fará a barreira no turno noturno. Durante o dia o trabalho ficará a cargo do Tiro de Guerra. A legalidade da ação poderá ser questionada, mas coincide com o desejo da maioria dos moradores da cidade, que tem 10 casos da Covid-19 registrado, com duas mortes.

Pelo decreto municipal, que deverá publicado ainda neste sábado (9), veículos em trânsito para outras cidades que necessitem passar por Itapetinga, terão que aguardar em fila indiana, por uma escolta que os conduzirá ate a próxima barreira, evitando que eles transitem pelo município. Ônibus não poderão passar pelas barreiras, com exceção aos circulares das empresas de transporte municipal como Viação Itapetinga e Transnacional. Caminhoneiros, fornecedores ou entregadores precisarão apresentar a nota fiscal de entrega do produto para entrar na cidade.

Os moradores da cidade deverão provar sua situação com um comprovante de residência. Caso não estejam portando um, os viajantes deverão aguardar até que alguém leve o documento para eles. Além disso, poderão ultrapassar as barreiras pessoas que estejam buscando assistência médica de urgência, sendo proibida a entrada para tratamentos ou procedimentos eletivos.

Aqueles que apresentarem sintomas gripais ou febre serão impedidos de entrar. Itapetinguenses sintomáticos serão encaminhados para isolamento e monitorados pela Vigilância Epidemiológica. De acordo com o prefeito Rodrigo Hagge, em entrevista coletiva hoje pela manhã, as medidas viram proteger os itapetinguenses, reduzir a circulação de pessoas e evitar a proliferação do vírus. Elas serão reavaliadas semanalmente e as determinações poderão ser alteradas a depender do cenário encontrado.

BARREIRA DE ORIENTAÇÃO

Já Vitória da Conquista optou por barreiras educativas. Depois de realizar a primeira no dia 6 de abril, na BA-263, entrada para quem vem, justamente, da região Sul da Bahia, Itambé e Itapetinga, a ação volta a acontecer neste fim de semana. O trabalho da Vigilância Sanitária municipal, em parceria com a Polícia Rodoviária Estadual (PRE), tem objetivo informativo, com distribuição de panfletos sobre a doença e aferição de temperatura dos passageiros e condutores dos veículos que chegam.

Neste sábado, Prefeitura de Conquista, por meio da Secretaria Municipal de Saúde e da Secretaria de Mobilidade Urbana (com Simtrans), atuavam em duas barreiras, uma no mesmo ponto da anterior, na chegada de Itambé, e na chegada da BA 262, que vem de Guanambi, Livramento de Nossa Senhora Brumado, Anagé, etc. O trabalho feito no local consiste em ver se as pessoas estão com febre, investigação de sintomas e orientações sobre cuidados a tomar para evitar pegar o novo coronavírus.

A Prefeitura de Vitória da Conquista descarta a proibição de entrada de pessoas de outros municípios, por considerar que a medida não tem previsão na Constituição Federal. Os casos confirmados na cidade são 43, com quatro mortes.

Author: Giorlando Lima

Jacobinense, conquistense, itabunense, baiano, brasileiro. Pai de Giorlando e Alice, minhas razões de viver; profunda e eternamente apaixonado pela vida. 58 anos de idade, 42 de labuta como jornalista, publicitário, marqueteiro, blogueiro. Minha ideologia é o respeito, minha religião é o amor.

Comente