Falta de comunicação contribuiu para detenção pela PM de pesquisadores do Ibope em Conquista

BANNER_728x90_GIF

Os dois homens detidos pela Polícia Militar ontem (14) no bairro Bruno Bacelar, em Vitória da Conquista, estavam trabalhando em uma pesquisa apoiada pelo Ministério da Saúde. O trabalho deles dois, que chegaram à cidade no dia anterior, coleta dados para um estudo denominado “Evolução da Prevalência de Infecção por Covid-19 no Brasil: Estudo de Base Populacional” e é coordenada pelo Centro de Epidemiologia da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), do Rio Grande do Sul, sendo a execução do trabalho de campo a cargo do Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística (IBOPE).

Apesar de os entrevistadores se apresentarem aos moradores e explicarem qual a razão de estarem ali, pedindo que aceitassem fazer um teste rápido para saber se tinham contraído o novo coronavírus, as pessoas não sabiam se podiam acreditar, em tempos em que a desconfiança grassa. Por isso, recorreram à polícia, que, por sua vez, recorreu aos órgãos de saúde em Vitória da Conquista. Ninguém sabia de nada. A PM teve que deter os dois, por precaução e conduzi-los ao Disep.

Acontece que era para a Secretaria Municipal de Saúde saber, desde que a Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab) tivesse feito o que o Ministério da Saúde (MS) solicitou. Em ofício circular (Nº 3/2020/SAPS/GAB/SAPS/MS) de 12 de maio de 2020, assinado pela secretária substituta de Atenção Primária à Saúde, Daniela de Carvalho Ribeiro, o MS informa que está apoiando financeiramente a realização da pesquisa e solicita o apoio logístico das secretarias estaduais de Saúde e da Secretaria de Saúde do Distrito Federal no sentido de viabilizar a realização dessa pesquisa, comunicando, em caráter de urgência, às respectivas Coordenações Estaduais de Vigilância Epidemiológica e
de Vigilância Sanitária, às secretarias municipais de Saúde, bem como às respectivas secretarias de Segurança Pública dos estados, do Distrito Federal e dos municípios onde a pesquisa se daria.

Mas, em mais um capítulo da péssima comunicação entre a Sesab e a SMS, no caso estendida à SSP, nada foi feito e quem pagou o pato do constrangimento foram os pesquisadores, expostos em vídeos e fotos nos blogs, tratados como falsários por parte da imprensa. De acordo com o órgão municipal, não houve comunicação ou pedido de providência da secretaria estadual sobre a pesquisa.

Em outras cidades, moradores também ficaram desconfiados e recorreram às autoridades para esclarecimento. Entretanto, para não sair do padrão, em Vitória da Conquista teve quem se apressasse em caracterizar a ação como delitiva, acusando os pesquisadores de falsários. O site Nildo Freitas – A Notícia Com Seriedade, publicou duas matérias sobre o assunto, Na primeira, com a manchete “Falsos funcionários da secretaria de saúde estão tentando enganar pessoas com teste para coronavírus” em que afirma: “Não é preciso uma resposta oficial da prefeitura para saber que isso se trata de uma farsa, já que a administração municipal não adota esse tipo de procedimento.”

Na segunda matéria o blog traz o título: “EXCLUSIVO: Dupla que se passava por funcionários da secretaria de saúde foi presa pela PM no Bruno Bacelar“. Na nota, Nildo Freitas afirma que “a dupla circulava em alguns bairros da cidade falando que estavam ali para realizar o teste rápido do covid-19”.

A detenção e condução dos dois entrevistadores para o Disep foram feitas por policiais da 78ª Companhia Independente de Polícia Militar. O comandante da unidade, Major Edmário, disse que em nenhum momento os rapazes se identificaram como funcionários da Secretaria Municipal de Saúde, mas de uma empresa paulista, no caso, o Ibope, o que foi confirmado na delegacia, de onde foram liberados pouco tempo após serem apresentados.

COMO É O TRABALHO

Ao chegar nas casas, os entrevistadores perguntam aos moradores se há interesse e disponibilidade em participar da pesquisa. Além da aplicação de um questionário sobre a existência de doenças preexistentes e possíveis sintomas de COVID-19 nos últimos 30 dias, os profissionais realizam um teste sanguíneo rápido que utiliza metodologia por punção digital. Serão realizados 250 testes em 133 municípios, totalizando 33.250 testes em cada uma das três etapas do estudo. Nos domicílios em que alguém testar positivo, pretende-se testar todos os moradores. Em Vitória da Conquista, o trabalho seria feito ontem e hoje. Segundo o Ministério da Saúde esclareceu em nota, as equipes que estão indo a campo já foram testadas.

OFÍCIO DO MS AO SECRETÁRIO DE SAÚDE DA BAHIA

NOTA DO MS EXPLICANDO O TRABALHO

Author: Giorlando Lima

Jacobinense, conquistense, itabunense, baiano, brasileiro. Pai de Giorlando e Alice, minhas razões de viver; profunda e eternamente apaixonado pela vida. 58 anos de idade, 42 de labuta como jornalista, publicitário, marqueteiro, blogueiro. Minha ideologia é o respeito, minha religião é o amor.

Comente