Novo boletim da Prefeitura da Conquista gera críticas e lança desconfiança sobre reunião sobre flexibilização

BNI_728x90px_CONTAS-PAGA

Pelo menos dois pontos foram observados por internautas depois que o boletim do novo coronavírus foi divulgado na noite deste sábado, com várias alterações. A Prefeitura disse que foi uma exigência do Ministério da Saúde, lançar todas as notificações, inclusive de gripe simples. A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) já vinha sendo questionada ausência dos dados e por efetuar mudanças nos boletins visuais (banners), suprimento informações.

No boletim de hoje, liberado com cerca de três horas de atraso, dois pontos, pelo menos chamaram a atenção. O primeiro o elevado número de pacientes em investigação, 3.974. A SMS explicou que são pessoas com gripe comum e que 3.437 já estão curadas, restando 537. O outro ponto, esse mais difícil de entender foi redução na quantidade dos casos confirmados por exame laboratorial. No boletim de sexta-feira (5), eram 154 e no de hoje 150. Já os testes rápidos que deram positivo saíram de 69 para 106, aumento de 37 casos.

Com a mudança na formatação do boletim e os novos dados agregados, despareceu a informação sobre a quantidade de pessoas monitoradas que aguardam coleta e das que esperam resultado de exame laboratorial, alvo da queixa do Conselho Municipal de Saúde, em carta aberta, esta semana. Para o CMS, a Prefeitura sonega informações e descumpre a obrigação da transparência.

Uma terceira dúvida ainda surgiu: por que não há novos resultados de exames laboratoriais? O Lacen não enviou os resultados ou não houve nenhum positivo para Covid-19 entre os que foram analisados pelo Laboratório Central Municipal?

Também foi muito questionada a repentina decisão de atualizar os dados na véspera da reunião em que o Comitê Gestor de Crise (CGC) vai apresentar a avaliação oficial do quadro e propor as medidas a serem tomadas em relação à flexibilização do funcionamento de estabelecimentos comerciais e de serviços considerados não essenciais.

O BLOG foi contactado por dois leitores – um deles comerciante – preocupados com a decisão que será tomada na reunião. Ambos disseram não saber exatamente qual o parâmetro que a Prefeitura usará para balizar a decisão, considerando o critério do percentual de casos. Se for diário, o aumento de sexta para sábado nada muda, o comércio não fecha, tampouco altera o rodízio de funcionamento, tampouco podem abrir os demais estabelecimentos previstos para a segunda fase, como salões de beleza e barbearias. A variação neste sábado foi de 14,79%.

Se o parâmetro for o percentual de aumento na semana, aí fecha tudo de novo. Na semana de reabertura do comércio o crescimento de casos foi de 68,42%.

As dúvidas que o novo formato do boletim gera, ao invés de esclarecer, mais a mudança de data da reunião, que estava marcada para este sábado, justificada por uma necessidade de atualização dos dados, que estava atrasada. “As informações que estão sendo atualizadas são de pessoas notificadas desde março de 2020 e que não possuíam critério para coleta laboratorial. A Secretaria está fazendo contato com esses pacientes para realizar o teste rápido para fins clínicos e epidemiológicos”, explicou a secretária de Saúde, Ramona Cerqueira, em matéria da Secretaria de Comunicação.

Author: Giorlando Lima

Jacobinense, conquistense, itabunense, baiano, brasileiro. Pai de Giorlando e Alice, minhas razões de viver; profunda e eternamente apaixonado pela vida. 58 anos de idade, 42 de labuta como jornalista, publicitário, marqueteiro, blogueiro. Minha ideologia é o respeito, minha religião é o amor.

1 thought on “Novo boletim da Prefeitura da Conquista gera críticas e lança desconfiança sobre reunião sobre flexibilização

Comente