Mais de 100 casos de dengue, chikungunya e zika são confirmados em Conquista no período de 30 dias

A dengue está há mais tempo entre nós do que a Covi-19, surgido no ano passado e que teve sua primeira notificação positiva em Vitória da Conquista no dia 1º de abril. A causa da doença, em tese, é mais fácil de combater. O mosquito Aedes aegypti já é conhecido, sua reprodução, seu comportamento, sua ação. Já para o novo coronavírus a Ciência ainda procura respostas, além de ser um vírus, não ser algo visível que põe ovos em jarros de plantas, garrafas vazias, pneus e locais com água parada.

No período de um mês, até sexta-feira (5), o perigoso e quase totalmente desconhecido novo coronavírus infectou 188 pessoas em Vitória da Conquista, um número que assusta. Entretanto, apesar de todos os cuidados recomendados (álcool gel, máscara, distanciamento social), por ser um vírus, não há como as pessoas eliminá-lo, matar suas larvas, destruir seus criatórios e evitar que ele nasça, cresça, voe e escolha um ser humano para infectar. O mosquito da dengue este pode ser combatido antes de nascer, pode-se evitar mesmo que seus ovos surjam. Mas, isso não é um cuidado que todos tomam. O resultado é a presença constante das doenças que o mosquito causa.

Em Vitória da Conquista, as notificações de suspeita de dengue foram 3.084 em 30 dias, os casos confirmados chegaram a 547, 97 a mais. A chikungunya teve um aumento de 317 notificações e registrou oito casos positivos, enquanto a zika subiu de um caso para seis, com 514 notificações de suspeitas da doença. Na soma, foram 111 pessoas contaminadas pelo Aedes aegypti.

Os seis bairros que apresentaram o maior número de pessoas com suspeita de dengue, chikungunya ou zika foram: Cruzeiro (367), Vila América (167), Alto Maron (162), Patagônia (150), Centro (136) e Brasil (125).

BNI_728x90px_CONTAS-PAGA
AÇÃO DA PREFEITURA

Desde a última quarta-feira (3), veículos fumacê iniciaram uma segunda fase de pulverização de inseticida a Ultra Baixo Volume (UBV), em 12 localidades do município que registraram o maior número de notificações de casos de pessoas contaminadas nos últimos 15 dias, sendo elas: Conveima, Recanto das Águas, Primavera, Guarani, Jurema, Centro, Cidade Modelo, Ibirapuera, Urbis VI, Alto da Boa Vista, Baixão e Dantelândia.

Como parte das ações, mesmo em meio à pandemia do novo coronavírus, os agentes municipais de endemias continuam realizando ações educativas e de orientação aos moradores, além das visitas aos terrenos baldios e residências que possuem acesso pela lateral, mantendo sempre uma distância segura de, pelo menos, dois metros do morador – evitando a entrada no interior dos imóveis, conforme orienta o Ministério da Saúde.

A Prefeitura de Vitória da Conquista alerta que a população deve permanecer vigilante e fazer ações simples que podem acabar com os criadouros do mosquito. A população também pode entrar em contato com o Centro de Controle de Endemias para fazer denúncias ou solicitar a visita dos agentes de endemias, por meio do número: (77) 3429-7421.

Author: Giorlando Lima

Jacobinense, conquistense, itabunense, baiano, brasileiro. Pai de Giorlando e Alice, minhas razões de viver; profunda e eternamente apaixonado pela vida. 58 anos de idade, 42 de labuta como jornalista, publicitário, marqueteiro, blogueiro. Minha ideologia é o respeito, minha religião é o amor.

Comente