Conquista não merece isso | Prefeitura inicia nova polêmica com Estado e acusa HCC de não ter todas as UTIs contratadas para Covid-19

Se não bastasse para preocupar a população de Vitória da Conquista terem ocorrido sete mortes por Covid-19 em cinco dias, com 301 novos casos desde a reabertura do comércio, no dia 1º de junho, tendo a quantidade de casos ativos (pessoas que continuam em tratamento e podem transmitir o vírus) saído de 42 no dia 15 para 85 ontem (19), a Prefeitura resolveu colocar mais um fator de tensão no angustiante cenário do coronavírus no município, ao divulgar que só metade dos 20 leitos de UTIs do Hospital de Clínicas de Conquista (HCC) contratados pelo Governo do Estado estaria funcional, porque nos demais faltariam respiradores.

A denúncia, publicada no site da Prefeitura, foi baseada em ofício do diretor clínico do HCC, Vinícius de Brito Rodrigues, que passou à Secretaria Municipal de Saúde (SMS), segundo a nota, a informação de que a UTI do hospital dispõe de doze respiradores, sendo dois de reserva. Portanto, segundo a SMS, em se confirmando o informado pelo dirigente do HCC, só 50% dos leitos poderiam ser considerados funcionais como UTI.

Na mesma publicação, o coordenador do Comitê de Crise chegou a afirmar que, como todos os protocolos feitos para a reabertura do comércio se basearam na oferta de leitos apresentada, tanto leitos clínicos, quanto os de UTI, “a redução deste número, se for verdadeira, nos fará revisar todos os procedimentos adotados até agora”.

De acordo com a Secretaria de Comunicação, o assunto foi tratado em uma reunião de emergência do CGC, que deu conhecimento do problema ao prefeito Herzem Gusmão, que enviou mensagem de SMS e tentou ligar para o secretário estadual Fábio Vilas-Boas, mas o secretário não atendeu. Por essa razão, o comitê decidiu tornar público o assunto.

A FALA DO HOSPITAL

O BLOG fez contato com o diretor administrativo do Hospital das Clínicas de Conquista, Felipe Nery, e pediu posicionamento da unidade sobre a denúncia feita pela Prefeitura. Ele respondeu que o hospital tem 14 ventiladores pulmonares dedicados à UTI Covid, sendo um para cada dois leitos e um de backup (reserva) para cada cinco leitos, como preconizado pela Resolução da Diretoria Colegiada número 07, da Anvisa, que dispõe sobre os requisitos mínimos para funcionamento de Unidades de Terapia Intensiva.

Além do que foi divulgado na nota publicada  no site da Prefeitura, fontes seguras dão conta, ainda, de que a titular da Saúde repassou ao grupo de secretários a informação de que a insuficiência de respiradores se agrava porque os leitos de UTI do HCC não estariam no mesmo ambiente, lado a lado, mas em quartos separados, o que tornaria inaplicável a utilização de um respirador a cada dois leitos.

Sobre a configuração espacial da UTI, Felipe Nery explicou que unidade tem o formato de ilha, propiciando fácil visualização de todos os pacientes pela equipe. Sobre a informação de que cada leito estaria em quartos separados, o diretor disse que os membros do CGC “talvez estejam confundindo com outro hospital”. Para confirmar o que disse, o diretor enviou a foto panorâmica abaixo, feita, segundo ele, antes de o HCC começar a receber pacientes. Clique para ampliar.

No final da noite o BLOG ficou sabendo, por uma fonte da Prefeitura, de que “a denúncia era tão certa que o secretário Fábio Vilas-Boas entrou em contato com o HCC e prometeu enviar três ou quatro respiradores na segunda-feira para o hospital”. Se a notícia não se confirmar, a secretária de Saúde disse que espera contato do titular da Sesab, para acertar uma forma de governos municipal e estadual buscarem [em Brasília] os respiradores necessários para completar o quadro de leitos de UTI do hospital.

No final da noite o HCC divulgou uma nota de esclarecimento em resposta à denúncia da Prefeitura, mas o conteúdo foi fraco e sem consistência ante denúncia tão grave, não permitindo ao leitor compreender, se afinal, com os respiradores que diz ter o hospital daria conta se a UTI chegar a ficar lotada.

Assim como a publicação da Prefeitura permite, inclusive, a interpretação de ser uma tentativa de explicar um recuo na flexibilização do comércio, diante de uma possível reação de empresários, com uma justificativa que reduziria o desgaste da medida, que passaria a ter um “culpado”, posto que o assunto ficou guardado por dois dias, sendo tornado público apenas na véspera da reunião conjunta com o Comitê de Representação Social e Institucional, para apresentar as próximas etapas do protocolo preparado pelo CGC.

Reforça esse entendimento, a fala do coordenador do comitê enfatizando a possibilidade de revisão dos parâmetros com base nas novas contas e a redução da quantidade de leitos de UTI dedicados à Covid-19 de 50 para 40, o que elevaria, por exemplo, a taxa de ocupação de UTIs verificada ontem, automaticamente, para 70% e a geral para 47%.

A atitude da Prefeitura também admite a suposição de mais um round na insistente tentativa de desgastar o Governo do Estado, sobre quem recairia a responsabilidade sobre um contrato mal feito e mal fiscalizado.

POLÊMICA PREJUDICIAL

Da polêmica, se tira pelo menos uma certeza: nenhuma autoridade municipal ligada ao assunto do novo coronavírus jamais visitou o HCC para conhecer as instalações da UTI exclusiva para Covid-19. Para a Prefeitura, isso é um problema do Governo do Estado.

No final, como se diz popularmente, das duas, uma: ou a equipe do governo municipal responsável pelas ações relacionadas à Covid-19 não conhece UTI ou o Hospital de Clínicas de Conquista não está falando toda a verdade e não entrega o que foi contratado.

A população de Vitória da Conquista, sob a ameaça de um vírus que se espalha, já tendo chegado à zona rural, que infectou 460 pessoas no município, levando 12 a óbito, não merece mais essa polêmica.

Com a palavra o secretário de saúde do estado da Bahia, Fábio Vilas-Boas.

 

 

Author: Giorlando Lima

Jacobinense, conquistense, itabunense, baiano, brasileiro. Pai de Giorlando e Alice, minhas razões de viver; profunda e eternamente apaixonado pela vida. 58 anos de idade, 42 de labuta como jornalista, publicitário, marqueteiro, blogueiro. Minha ideologia é o respeito, minha religião é o amor.

Comente