Secretário estadual diz que Herzem Gusmão não tem preparo para lidar com momento crítico

Em declaração divulgada na noite deste sábado, o secretário de Saúde da Bahia, Fábio Vilas-Boas, reagiu a críticas da equipe do governo municipal e do prefeito de Vitória da Conquista, que cobraram do Governo do Estado explicações sobre a suposta falta de respiradores na UTI do Hospital de Clínicas de Conquista (HCC), contratada pela Sesab para atender exclusivamente paciente de Covid-19. O governo municipal usou o caso para adiar as fases da reabertura do comércio que estavam previstas para começar na semana que vem. Para Vilas-Boas, o prefeito demonstrou desconhecimento técnico e despreparo para lidar com a crise do novo coronavírus.

O secretário relembrou que a resolução da ANVISA preconiza que uma UTI adulto deve dispor, no mínimo, para funcionar, de um respiradores para cada dois leitos, o que acontece hoje com o HCC. Segundo Fábio Vilas-Boas, “dos 20 leitos disponíveis, oito estão ocupados e apenas dois estão em uso de respiradores”. E destaca que “respiradores não são equipamentos que estejam sobrando no mundo para que não sejam distribuídos com racionalidade e responsabilidade”.

O titular da Secretário de Saúde do Estado da Bahia, garante que o governo estadual monitora todas as UTIs contratadas e se houver necessidade enviará mais respiradores. “A saúde pública não pode ficar a reboque de motivações políticas. As decisões responsáveis e técnicas continuarão a ser tomadas pelo Governo do Estado”, finaliza Fábio Vilas-Boas.

LEIA A DECLARAÇÃO NA ÍNTEGRA

É lamentável que o Prefeito Herzem Gusmão o tenha feito declarações públicas que revelam desconhecimento técnico e portanto despreparo para lidar com o momento crítico da pandemia da Covid-19 em seu município. Pior ainda foi usar o alegado baixo número de respiradores do Hospital de Clínicas como motivo para suspensão do precipitado programa de abertura do comércio de Vitória da Conquista.

A cidade de Vitória da Conquista possui hoje 50 leitos de UTI, com ocupação de 59%. No Hospital de Clinicas foram abertos 20 leitos de UTI, sendo doze com respiradores. Os requisitos mínimos para funcionamento de Unidades de Terapia Intensiva, conforme RDC ANVISA estabelecem que uma UTI adulto deve dispor, no mínimo, para funcionar, de um respirador para cada 2 leitos, o que acontece hoje com o HCC. Dos 20 leitos disponíveis, oito estão ocupados e apenas dois estão em uso de respiradores.

Respiradores não são equipamentos que estejam sobrando no mundo para que não sejam distribuídos com racionalidade e responsabilidade.

O Governo do Estado tem monitorado todas as UTIs contratadas e, havendo necessidade, mais respiradores serão enviados.

A saúde pública não pode ficar a reboque de motivações políticas. As decisões responsáveis e técnicas continuarão a ser tomadas pelo Governo do Estado.

Author: Giorlando Lima

Jacobinense, conquistense, itabunense, baiano, brasileiro. Pai de Giorlando e Alice, minhas razões de viver; profunda e eternamente apaixonado pela vida. 58 anos de idade, 42 de labuta como jornalista, publicitário, marqueteiro, blogueiro. Minha ideologia é o respeito, minha religião é o amor.

Comente