Entrevista com o Coronel Ivanildo | Solidariedade, o outro lado da PM durante a pandemia

A pandemia implicou em um acréscimo das preocupações de todo mundo. Para muita gente, o novo coronavírus trouxe novas tarefas, a necessidade de agir para se proteger e ajudar proteger outras pessoas da doença que já matou mais de 58 mil pessoas só no Brasil, 1.800 na Bahia. Para o poder público e instituições como a Polícia Militar a pandemia trouxe uma nova missão: impedir aglomerações de pessoas, um dos mais importantes fatores de propagação do vírus e do aumento dos casos da Covid-19.

Com o fim de manter as pessoas em casa, buscando evitar aglomerações, várias medidas foram tomadas pelo Governo do Estado e pelas prefeituras em Vitória da Conquista e região. E à PM coube dar apoio ao trabalho de fiscalização feita pelos órgãos governamentais e realizar, ela mesma, ações em que, ao mesmo tempo, coíbe atividades que contribuem para ajuntamento de pessoas, a desobediência às determinações decretadas pelo governador ou pelos prefeitos, e procura conscientizar as pessoas sobre os riscos relativos à doença e sua proliferação, com prejuízo para toda comunidade.

Segundo o comandante do Comando de Policiamento Regional Sudoeste (CPRSO), Coronel Ivanildo da Silva, as aglomerações de pessoas por motivos de pouca urgência é o que mais preocupa o comando. “Esta preocupação com o aumento da contaminação já foi discutido, inclusive, pelo Alto Comando da Corporação, visto que tal situação pode afetar a disponibilidade de efetivo, quanto a isso, medidas estratégicas já foram pensadas no sentido de evitar ou minimizar problemas desta natureza”.

CONSCIENTIZAÇÃO

Para o comandante do CPRSO, “em que pese a necessidade de sair de casa para compra de gêneros alimentícios ou medicamentos, necessidade de atendimento médico ou de resolução de demandas importantes”, as pessoas precisam pensar que estarão correndo risco de contágio. Para Ivanildo, é “fundamental o investimento em informação e campanhas de conscientização, principalmente na retomada das atividades sociais”.

E ele assegura que a conscientização tem sido parte do trabalho da PM, quando age nos bairros diante de situações de desobediência às orientações das autoridades públicas. “Em relação à desobediência, as aglomerações de pessoas tem sido nossa maior demanda, principalmente em estabelecimentos tipo bares e eventos esportivos”, explica o comandante. Ele diz que, na maior parte das vezes, não há resistência à ação da PM nas ações relacionadas à pandemia. “A população conquistense é bastante consciente e pacífica, tende a cumprir as determinações e orientações mesmo em situação onde a aglomeração já esteja ocorrendo. Quanto a isso, cabe registrar nossos agradecimentos por apoiar o trabalho da corporação em um momento tão crítico”, frisa Ivanildo Silva.

Mas, a Polícia Militar também age em outras frentes com relação à Covid-19, como o apoio ininterrupto às barreiras sanitárias fixas em todo o Sudoeste e, quando solicitados, em fiscalizações itinerantes a órgãos municipais, estaduais e federais. E vem realizando um destacado trabalho de cunho social, com a parceria da sociedade, em Vitória da Conquista, com ações como a Patrulha Solidária. O CPRSO informa que desde o início da pandemia, a região Sudoeste já arrecadou mais de 50 toneladas de alimentos e já distribuiu mais de cinco mil cestas básicas para famílias em situação social. “Neste caso, nos esforçamos para que as cestas sejam acompanhadas de kits de limpeza e higiene pessoal, incluindo máscaras”, completa o comandante.

AÇÃO CONTINUADA

A Patrulha Solidária é a atividade mais visível na política de integração da PM em Vitória da Conquista. O Coronel Ivanildo afirma que, no campo das ações sociais, a patrulha tem sido o braço forte do CPRSO, sendo um projeto alinhado com apolítica e orientação do Comandante Geral da PM na Bahia, Coronel Anselmo Brandão, quanto aos cuidados com a sociedade e com os mais necessitados. “A Polícia Militar da Bahia é um dos órgãos com maior alcance do Estado, isso nos deixa em contato constante com as iminentes demandas sociais e direciona nossas ações não apenas para o policiamento repressivo como também e, principalmente preventivo”, comenta Ivanildo, para quem a Patrulha Solidária, que sempre foi um projeto de ação continuada, acabou sendo ainda mais fortalecida diante do visível aumento da carência das famílias que mais precisam de ajuda, que passou a exigir esforços igualmente maiores.

Quando se fala em Patrulha Solidária PM muita gente pensa somente na coleta de doações e distribuição de cestas básicas, mas o projeto envolve outras ações, algumas realizadas em casas de acolhimentos, como o São Lidário PM que levou música, festa e alegria ao Abrigo Lar Terceira Idade e à Casa do Amor. E como a previsão de que o inverno deste ano seja um dos mais frios dos últimos tempos em Vitória da Conquista, o CPRSO lançou a Campanha do Agasalho PM, para estimular as doações de roupas de frio e cobertores para distribuição. “Antes, nossos policiais também realizaram lindas homenagens no Dia das Mães. Toda e qualquer ação é trabalhada dentro das recomendações da OMS, zelando pela higiene e pelo afastamento regular”, esclarece o Coronel Ivanildo.

Ele ressalta que “um trabalho como este precisa ser pensado e executado com amor à causa. Para doar, é preciso receber. Por isso, mais uma vez, eu gostaria de agradecer os grandes parceiros e verdadeiros amigos que a Polícia Militar encontrou nessa caminhada. O sucesso das ações deve ser colhido por todos nós, de alguma forma, estamos construindo uma nova e melhor sociedade, para mim, a parte mais graciosa de tudo isso é que estamos fazendo este trabalho juntos! Como sempre dizemos: PM e Comunidade na Corrente do Bem!”.

CUIDADOS COM A TROPA

O BLOG conversou com o comandante do Comando de Policiamento Regional Sudoeste também sobre os cuidados relação à Covid-19 internamente, no âmbito da corporação. Para ele “tanto a Polícia Militar, quanto outros órgãos e o próprio mundo, se preparam diariamente para enfrentar cada realidade apresentada. Uma mudança imediata que é possível destacar, trata-se da maior conscientização quanto à higienização dos equipamentos e das viaturas, dos locais de trabalho e a higiene pessoal. Em geral, medidas convencionais sempre foram adotadas, contudo, tornou-se indispensável e improrrogável os cuidados com a limpeza e com a própria saúde, incluindo hábitos mais saudáveis de alimentação e atividade física”.

Na entrevista, o Coronel Ivanildo informa que Vitória da Conquista foi uma das primeiras cidades a testar todos os policiais militares empregados e que, desde o início da pandemia, kits de limpeza e higiene foram distribuídos para todas as viaturas e unidades, além de máscaras de proteção, uso contínuo e descartáveis, além disso, cada unidade recebeu totem de limpeza para as mãos e tapetes antisséptico para os calçados e na sede do CPRSO foi instalado um túnel de desinfecção. Aferição de temperatura e testagem são feitas constantemente, seguida de cuidados outros com a saúde física e mental. De acordo com o comandante, “prepostos da Unidade Básica de Saúde do CPRSO, médicos, enfermeiros, psicólogos e assistentes sociais realizam diuturnamente o acompanhamento de toda tropa do Sudoeste”.

Ivanildo da Silva explica que, no caso do atendimento do efetivo da PM em cidades mais distantes, o CPRSO teve o cuidado de contatar as secretarias municipais de Saúde para que apoiem a corporação, realizando as aferições e testes nos policiais sempre que for possível. Em complemento, os comandantes das 14 Unidades pertencentes ao CPRSO foram orientados à supervisionar medidas profiláticas que possam ser adotadas e, em casos suspeitos, entrar em contato com os Plantões de Saúde Física e Emocional do CPRSO, especialmente criados para acolher os militares neste período da Covid-19.

SEGURANÇA

Sobre o trabalho constitucional a Polícia Militar, cuidar da segurança pública, atuando para impedir o crime e reduzir a violência, o comandante do CPRSO diz que o trabalho ostensivo não foi afetado. “Estamos mantendo nossas operações e ações para evitar crimes contra a vida, contra o patrimônio e todos os outros delitos, realizando também as ações de combate à pandemia como já mencionamos”.

O comandante do CPRSO diz que “a busca pela interação com a comunidade sempre foi e será uma constante, não apenas no Sudoeste como em toda Polícia Militar da Bahia. Frequentemente nosso trabalho é voltado para o policiamento comunitário e, neste período de isolamento social, a PM da Bahia percebeu a importância de manter essa missão de aproximação, seja por meio das ações sociais, seja pela intensificação das operações e do policiamento ostensivo, assegurando à sociedade que a instituição estará sempre presente e atuante para servir e proteger”.

O Coronel Ivanildo ressalta que a comunidade já enfrenta diversas crises desde o início da Covid-19, e que essas crises também afetam os policiais militares. “Pensando assim, a corporação buscou se dedicar inteiramente para assegurar um pouco de conforto diante tal cenário, isso inclui a sensação de segurança, firmada em um policiamento presente e atuante, e as ações solidárias doando atenção e mantimentos para os mais afetados. O objetivo é que a segurança pública não se torne mais uma crise a ser enfrentada pela comunidade.

Quanto a ter a pandemia influenciado, reduzindo ou aumentando a situação da violência e ação criminosa, Ivanildo diz que é sabido que a venda de drogas tem caído e, quando isso acontece, o crime busca outras modalidades. “Mas, o que pode ter influenciado mais, embora de maneira indireta, foi a liberação de um número considerável de detentos do regime prisional por conta da prevenção.  São indivíduos que, normalmente, não estariam ainda no convívio social e isso pode interferir nas contendas das facções criminosas”, observou o coronel.

FÉ E CALMA

E pessoalmente, como tem reagido à pandemia o comandante do CPRSO? O coronel diz que vem agindo de forma similar a toda a população, porque sabe que o novo coronavírus não seleciona quem vai adoecer. “Eu reforcei os cuidados específicos de higiene, sempre uso máscaras, na folga, procuro permanecer em casa, consequentemente, evito visitas a familiares e amigos que possam estar nos grupos de risco”, conta.  E qual conselho dá às pessoas neste momento de pandemia?

“Não me sinto na condição de aconselhar, creio que todos temos nossas cruzes e flores para carregar. Como eu disse no início, pouco sabemos sobre as consequências que nos espera. Apesar das imensas dificuldades, sinto que me cabe agradecer por sobreviver cada dia ao lado de quem amo e servindo nesta missão de ajudar ao outro, construindo uma Polícia Militar mais consciente e prestativa. Para mim, a fé e a calma são poderosas armas nessa caminhada e é o que desejo a todos, se eu pudesse dar um conselho seria este: caminhem com fé e sejam bons jardineiros, para que na frente nos encontremos no mais belo jardim!”, enfatiza o Coronel Ivanildo.

REGISTROS DA AÇÃO SOCIAL DA PM EM VITÓRIA DA CONQUISTA

Author: Giorlando Lima

Jacobinense, conquistense, itabunense, baiano, brasileiro. Pai de Giorlando e Alice, minhas razões de viver; profunda e eternamente apaixonado pela vida. 58 anos de idade, 42 de labuta como jornalista, publicitário, marqueteiro, blogueiro. Minha ideologia é o respeito, minha religião é o amor.

Comente