Eleições | Herzem, o prêmio Abrinq, as verbas extras, a máscara, as fotos e a campanha

Faltando pouco mais de quatro meses para a eleição e menos de seis meses para terminar o mandato, o prefeito Herzem Gusmão, com muito dinheiro nas contas da Prefeitura, resolveu intensificar as andanças e estar em cada vez mais lugares no menor tempo possível. Aos 72 anos, idade que o coloca no grupo de risco do novo coronavírus, o prefeito põe uma máscara e se desloca pelo município para vistoriar obras. Onde houver um meio-fio sendo colocado, lá estará Herzem, sendo filmado e fotografado, para cenas que, certamente, farão parte de sua propaganda eleitoral.

Se não bastasse poder fazer a campanha no cargo, mantendo todas as ações próprias da gestão, à exceção, durante uma parte do tempo, de inaugurações e propaganda, os candidatos à reeleição acabaram se beneficiando com Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que alterou as datas e os prazos das eleições deste ano. É a típica situação de “males que vêm para o bem”. A pandemia do novo coronavírus, que infelicita o país e que, só em Vitória da Conquista, já tem quase mil casos e 20 mortos, determinou o adiamento das eleições, que estavam marcadas para 4 de outubro e serão no dia 15 de novembro, o primeiro turno. O segundo, onde houver, será no dia 29 do mesmo mês.

Com o adiamento, foram alterados outros prazos. Anteriormente, as prefeituras teriam que parar de anunciar, fazer propaganda ou mesmo publicações de ações e obras nos sites oficiais, desde sábado (4). Também estaria proibido aos prefeitos comparecer a inauguração de obras. Pela nova regra, Herzem Gusmão pode manter a propaganda que faz na mídia e no site e, se terminar alguma obra nesse prazo, pode também fazer a inauguração, até com show, se quiser. Sabendo disso, o prefeito de Vitória da Conquista corre trecho, faz fotos e vídeos e fala com quem encontra pelo caminho. Sempre de máscara.

Mas, não é essa a maior vantagem que o adiamento trouxe para os prefeitos em campanha de reeleição, Herzem incluído. A grande coisa é ter tempo de adiantar ou terminar obras de visibilidade. No caso de Vitória da Conquista, a estação de transbordo no lugar do terminal de ônibus, a revitalização da Avenida Olívia Flores e as diversas intervenções que Herzem fará com os R$ 60 milhões do empréstimo da Caixa, que os vereadores de oposição aprovaram, pensando em aproveitar um naco.

Para dar um lustro à fase “prefeito obreiro” chega o prêmio Prefeito Amigo da Criança, da Fundação Abrinq, que Herzem Gusmão colocou no topo de seus feitos, embora tenha quem pergunte a razão da condecoração. Pode-se dizer que o prêmio Prefeito Amigo da Criança, o mesmo que o ex-prefeito Guilherme Menezes ganhou duas vezes e Zé Raimundo uma, chegou em boa hora. Se junta aos mais de 100 milhões de reais* de recursos extras com que a Prefeitura passou a contar desde abril, vindos do Governo Federal e do Finisa, sem contar os repasses normais e a arrecadação própria.

O prêmio e o dinheiro extra funcionam como motivação para o prefeito aumentar o ritmo. A oposição terá que passar sebo nas canelas, como se diz, se quiser ter sucesso numa eleição em que a vantagem é de quem está no poder. Já foi assim, por exemplo, com o PT em 2000, 2004 e 2012. E está sendo a vez de Herzem, que, para aproveitar, não perde tempo e está com o pé na rua.

Sempre de máscara.

*Finisa: R$ 50 milhões para obras + R$ 10 milhões para iluminação = R$ 60.000.000,00
– Programa Federativo de Enfrentamento ao Coronavírus aprovado pelo Congresso: R$ 32.142.810,57 (já recebeu R$ 7.654.158,23)
– Fundo a Fundo SUS (Enfrentamento da emergência de Saúde Pública de Importância Internacional Decorrente do Coronavírus): R$ 10.424.727,38

Total: R$ 102.567.537,95

Author: Giorlando Lima

Jacobinense, conquistense, itabunense, baiano, brasileiro. Pai de Giorlando e Alice, minhas razões de viver; profunda e eternamente apaixonado pela vida. 58 anos de idade, 42 de labuta como jornalista, publicitário, marqueteiro, blogueiro. Minha ideologia é o respeito, minha religião é o amor.

Comente