Antes de sair, biografia do patrono do Karatê na Bahia escrita por Plauto Azevedo, já tem fila de interessados


Autor de “Caribé, a essência do karatê na Bahia”, lançado em 2009, que em mais de 200 páginas retrata a chegada da arte marcial ao Brasil e, principalmente, à Bahia, o jornalista, empresário e faixa preta, Plauto Azevêdo, de Vitória da Conquista, já está recebendo pedidos para sua nova obra abordando o karatê e a família Caribé. No primeiro livro, ele destacou a importância dos Caribé na implantação e difusão da arte marcial no estado, desta vez o tema é a biografia de Denilson Caribé de Castro, primeiro faixa preta de Karatê da Bahia, considerado o patrono do karatê brasileiro.

Segundo o autor, Denilson foi o maior representante brasileiro da arte marcial, em seus mais diferentes estilos. Falecido, aos 45 anos, em 23 de outubro de 1985, em um acidente automobilístico próximo a Vitória da Conquista, Denilson Caribé deixou um legado que é respeitado em todos os cantos do Brasil e do mundo, diz Plauto Azevêdo, que fez um trabalho de pesquisa por dezoito meses e conseguiu informações inéditas com familiares, desde os avós, prosseguindo até mesmo após a morte do homenageado.

O livro terá mais 200 páginas com fatos e fotos raríssimos de Denilson, assegura Plauto. O lançamento está marcado para 23 de outubro, em Salvador, mas as vendas antecipadas dos exemplares já estão acontecendo em todo o país.

Plauto afirma que “é impossível prever a dimensão que esta obra irá atingir, não apenas a nível nacional como internacional. Diversos mestres de Karatê já estão me sondando sobre a possibilidade de realizar lançamento em suas cidades. O nome e a história de Denilson é venerada por todos os karatecas. Para quem não conhece esta arte milenar, da mesma forma que Pelé é para o futebol ou Aírton Sena para a Fórmula 1, assim é Denilson Caribé para o karatê brasileiro”.

Para entrar na fila para adquirir um exemplar os interessado podem enviar mensagem de texto para o número 77 98131 6056. A edição será limitada, explica Plauto.

Com 52 anos, o jornalista e empresário Plauto Azevêdo descobriu o karatê aos 12. Ele ressalta que nunca se interessou por títulos, medalhas ou troféus e diz que o desinteresse por competições é compensado com um grande entusiasmo pela pesquisa da arte marcial japonesa. O primeiro livro dele foi vendido em todo o país e teve, inclusive, o reconhecimento do Consulado Japonês na Bahia.

Author: Giorlando Lima

Jacobinense, conquistense, itabunense, baiano, brasileiro. Pai de Giorlando e Alice, minhas razões de viver; profunda e eternamente apaixonado pela vida. 58 anos de idade, 42 de labuta como jornalista, publicitário, marqueteiro, blogueiro. Minha ideologia é o respeito, minha religião é o amor.

Comente