Passo à frente | Herzem define Sheila Lemos como sua vice e demais pré-candidatos ainda articulam


A pouco menos de um mês para a anunciada convenção (marcada para 15 de setembro) que oficializará a sua candidatura e da chapa com que vai em busca da reeleição, o prefeito de Vitória da Conquista já definiu que a sua vice será a empresária e administradora Sheila Lemos. Ao antecipar uma decisão que era esperada para setembro, Herzem Gusmão (MDB) indica que já entrou em ritmo de campanha – assunto que ele tentava evitar até a semana passada – e, de alguma forma, coloca pressão sobre os demais pré-candidatos, principalmente Zé Raimundo (PT).

O time petista ainda não tem ideia de quem poderá ser o candidato a vice-prefeito ou candidata a vice-prefeita. A definição passa pela conversa com os partidos da chamada base do governador Rui Costa, mais precisamente PCdoB, PSB, PSD e PP. Todos dizem ter pré-candidato a prefeito, mas o PCdoB não nega que trabalha para fazer o ex-vereador Andreson Ribeiro o companheiro de chapa de Zé Raimundo. A pressão dos comunistas é um tanto quanto sentimental e menos eleitoral, já que o eleitorado dos dois partidos está no mesmo campo, independentemente de o PCdoB ser escolhido para vice. Mas, aliado de primeira hora e em todas as guerras, o PCdoB almeja esse lugar há seis eleições.

O PSB já deu dois vices ao PT, um deles o único vice que Zé Raimundo teve, aliás: o contador e ex-vereador Gilzete Moreira. Por enquanto, tem a pré-candidatura do professor Mozart Tanajura Júnior, também considerado um bom nome para a composição com os petistas. O PP, do pré-candidato Romilson Filho, não admite conversa e nem tem nome cogitado para vice, mas sabe que na hora da onça beber água o que vai determinar o destino dos partidos da base é a maior ou menor chance de reeleição de Herzem. Até o PSD sabe disso, mas é o único caso em que a incompatibilidade entre os dois pré-candidatos – o do PSD é o ex-reitor da Uesb. Abel Rebouças – impede acerto de chapa única.

Os demais partidos colocados no cenário, com pré-candidatos a prefeito, não têm muita margem – ou interesse – de negociação. Ou, pelo menos, as composições não envolvem medalhões ou os chamados partidos de grife. O Rede tem a historiadora Maris Stela; o Avante o presbítero Herling Conceição e o PRTB tem David Salomão. PSOL, de Ferdinand Martins vai de chapa puro sangue. O Avante é deles o que tem falado em uma frente com outros dois ou três partidos.

Enquanto conversam e articulam, Herzem, que tem a maior vitrine eleitoral e não para de andar, fazendo campanha, com a justificativa de atividades da gestão, ganhou tempo para fortalecer a sua chapa. A mudança de Irma para Sheila, embora a primeira seja a mãe da segunda, não é uma coisa qualquer. Com a escolha da empresária, Herzem, em tese, mantém por perto os seguidores da atual vice-prefeita e agrega um eleitorado novo atraído pelas ideias de empreendedorismo, desenvolvimento econômico e fortalecimento do comércio local, defendidas por Sheila Lemos, além de afastar um eventual desgaste pela vaga. Coisa que os demais provavelmente já estejam passando.

 

Author: Giorlando Lima

Jacobinense, conquistense, itabunense, baiano, brasileiro. Pai de Giorlando e Alice, minhas razões de viver; profunda e eternamente apaixonado pela vida. 58 anos de idade, 42 de labuta como jornalista, publicitário, marqueteiro, blogueiro. Minha ideologia é o respeito, minha religião é o amor.

Comente