Conquista terá 2º turno histórico depois de votação mais apertada em 38 anos. Candidatos negociam apoios

 

O primeiro turno da eleição de prefeito de Vitória da Conquista teve um dos resultados mais apertados da história da politica conquistense. Zé Raimundo (PT) obteve 81.721 votos, enquanto Herzem Gusmão (MDB) ficou com 78.732. A frente do petista, de 2.989 votos, é a menor desde 1982, quando José Fernandes Pedral Sampaio, eleito com 16.664 votos, teve uma frente de 1.345 contra Sebastião Rodrigues Castro, que teve 15.319 votos, enquanto Margarida Oliveira alcançou 14.333.

Para efeito de comparação, nas duas eleições anteriores, com dois turnos, a menor frente no primeiro turno foi 13.931 votos de Guilherme Menezes frente a Herzem em 2012. Na disputa de 2016, o atual prefeito ficou à frente de Zé Raimundo com 26.466 votos. Na última eleição, vencida por Herzem, ele saiu de 78.455 votos, praticamente a mesma votação de domingo (15), para 95.710, um crescimento de 21,99%. Zé Raimundo teve 51.989 no primeiro turno e passou a 70.513  votos, aumento de 35,63%, crescimento bem maior que o de Herzem, mas insuficiente para impedir a vitória do adversário.

Agora, apesar de uma diferença bem menor, é Herzem Gusmão quem tem a missão mais difícil, em tese. Em uma conta bem simples, para cada três votos que Zé Raimundo conseguir no segundo turno o emedebista terá que conseguir em torno de cinco para inverter a situação e garantir a reeleição. Ou seja, sem considerar a nova abstenção e a variação de nulos e brancos, hipoteticamente, Herzem precisa de mais ou menos 7.200 dos 11.122 votos que tiveram Salomão, Romilson, Cabo Herling e Maris Stela e Ferdinand, cujas manifestações passaram a valer ouro.

Os candidatos e seus assessores estão debruçados sobre essas contas hoje. A partir delas, negociam eventuais acordos por apoio e traçam suas estratégias para a curta campanha do segundo turno, de uma semana. Diz-se que o segundo turno é outra eleição e alguns dados demonstram que é.

Na eleição passada, por exemplo, a abstenção na segunda parte da eleição aumentou de 20,74% para 22,75%, isto é, 4.600 eleitores que votaram no primeiro turno não voltaram para o segundo. Em compensação, diferente do que se imaginava, a soma de nulos e brancos que foi de 9,63% caiu para 6,69%, ou seja, 5.688 eleitores decidiram dar um voto de confiança aos candidatos, depois de ouvirem suas mensagens no segundo turno.

No dia 15, 43.626 (18,87%) eleitores deixaram de comparecer às urnas e 15.975 (8,51%) votaram em branco ou anularam o voto. Quem terá discurso bom o suficiente para convencer esse pessoal a votar?

Author: Giorlando Lima

Jacobinense, conquistense, itabunense, baiano, brasileiro. Pai de Giorlando e Alice, minhas razões de viver; profunda e eternamente apaixonado pela vida. 58 anos de idade, 42 de labuta como jornalista, publicitário, marqueteiro, blogueiro. Minha ideologia é o respeito, minha religião é o amor.

Comente

%d blogueiros gostam disto: