Efeito da pandemia | Saldo de empregos ainda é negativo em Vitória da Conquista


De acordo com dados da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho (SEPT), ligada ao Ministério da Economia, Vitória da Conquista não teve mais de cinco mil novos empregos gerados no segundo semestre deste ano, como informado em propaganda do prefeito e candidato à reeleição, Herzém Gusmão (MDB). Comércio e serviços ainda não conseguiram recuperar os níveis do ano passado (veja tabelas no final da matéria).

O Novo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Novo CAGED), que no governo Jair Bolsonaro, passou a divulgar as estatísticas do emprego formal por meio de informações captadas dos sistemas eSocial, Caged e Empregador Web, esclarece que até 30 de setembro, última atualização do sistema, Vitória da Conquista ainda apresenta um saldo negativo de 625 vagas, embora tenha ocorrido uma recuperação significativa na quantidade de pessoas empregadas com carteira assinada nos três primeiros meses do segundo semestre.

Entre 1º de janeiro de 30 de junho, o município registrou 8.595 contratações formais e 11.032 demissões, um saldo negativo de 2.436 empregos. Naquele período, somente fevereiro teve saldo positivo, com 614 empregos. O pior mês foi abril, com o resultado de 1.913 vagas a menos.

Em julho, no entanto, começou a se verificar recuperação, com mais trabalhadores contratados (1.041) do que dispensados (1.023), caindo o saldo negativo para 2.019 no ano. Nos dois meses seguintes, a recuperação foi mais acentuada, com saldo positivo de 638 empregos em agosto e de 756 em setembro, baixando o resultado negativo no ano para 625.

A previsão é de que os dados de outubro deixem para trás as estatísticas ruins e nos dois últimos meses do ano superem os números do ano passado, quando Vitória da Conquista teve saldo positivo de 972 empregos.

DESEMPENHO POR SETOR

No primeiro semestre, o setor com pior desempenho foi o comércio, com 3.319 demissões ante 2.430 contratações, saldo negativo de 889. Em seguida, o setor de serviços, que assinou a carteira de 3.048 trabalhadores e demitiu 4.420, resultado negativo de 1.372. O único setor com saldo positivo nos seis primeiros meses do ano foi a agropecuária. Construção civil perdeu 35 postos de trabalho e a indústria 151.

No segundo semestre, o maior crescimento foi da indústria, tanto em números absolutos, com 1.410 admissões, 545 desligamentos e saldo de 865, como percentualmente, com 61,34% dos trabalhadores contratados mantidos. Em seguida, o maior saldo foi da construção civil, com 340 empregos preservados. O comércio teve saldo positivo de 316 e serviços de 233. O setor, apesar de ter sido o que mais contratou (1.445) foi também o que mais demitiu (1.212). A agropecuária teve um bom desempenho proporcional, mantendo 47,93% das contratações.

Quando se considera o acumulado do ano, os dois setores que mais empregam em Vitória da Conquista mantêm saldos negativos, em razão da grande perda do primeiro semestre. Foram 4.353 desligamentos no comércio e 3.780 contratações, saldo negativo de 573. Serviços admitiu 4.493 trabalhadores com carteira assinada, mas demitiu 5.632, com perda de 1.139 postos de trabalho.

Os demais tiveram resultado positivo até o fim de setembro: a indústria contratou 3.120 e demitiu 2.406, com saldo de 714, a construção admitiu 2.134 e mandou embora 1.829, saldo de 305, e a agropecuária preservou 68 empregos de carteira assinada, com 194 contratações e 126 desligamentos.

De acordo com o Calendário de Divulgação do Novo Caged, as próximas estatísticas do emprego formal no Brasil (e em Vitória da Conquista) serão divulgadas na quinta-feira (26), com dados de outubro de 2020.

  ANO 2020 (até 30 de setembro)
  Adm. Dem. Saldo Var.
Serviços 4.493 5.632 -1.139 -25,35%
Comércio 3.780 4.353 -573 -15,15%
Indústria 3.120 2.406 714 22,88%
Construção 2.134 1.829 305 14,29%
Agropecuária 194 126 68 35,05%

 

  Primeiro Semestre Segundo Semestre
  Adm. Dem. Saldo Var. Adm. Dem. Saldo Var.
Serviços 3.048 4.420 -1.372 -45,01% 1.445 1.212 233 16,12%
Comércio 2.340 3.319 -889 -36,58% 1.350 1.034 316 23,40%
Indústria 1.710 1.861 -151 -8,83% 1.410 545 865 61,34%
Construção 1.334 1.369 -35 -2,62% 800 460 340 42,5%
Agropecuária 73 63 10 13,69% 121 63 58 47,93%

Author: Giorlando Lima

Jacobinense, conquistense, itabunense, baiano, brasileiro. Pai de Giorlando e Alice, minhas razões de viver; profunda e eternamente apaixonado pela vida. 58 anos de idade, 42 de labuta como jornalista, publicitário, marqueteiro, blogueiro. Minha ideologia é o respeito, minha religião é o amor.

Comente

%d blogueiros gostam disto: