Casos de Covid-19 crescem em velocidade recorde, mas Prefeitura de Conquista quer volta às aulas já em fevereiro


Atualizado às 21h30 de terça-feira (12)

O Conselho Municipal de Educação (CME) aprovou, no dia 23 de dezembro do ano passado, o calendário escolar proposto pela Secretaria Municipal de Educação (SMED), com a definição para início das aulas na rede pública de Vitória da Conquista no dia 24 de fevereiro, dentro de 43 dias. O calendário foi publicado no Diário Oficial da sexta-feira (8) – clique na foto para ampliar.

A medida, é polêmica, diante do quadro da Covid-19 no município, quando a média diária de novos casos chega perto de 100 (98,45) e é a maior desde a confirmação do primeiro caso, em 31 de março de 2020. Naquela data, as escolas municipais já estavam fechadas por determinação do decreto 20.190, assinado pelo prefeito Herzem Gusmão.

Neste mês de janeiro, todos os números apontam o crescimento dos índices da Covid-19 e assustam a população, mas, para a Prefeitura de Vitória da Conquista a situação está controlada,  segundo o secretário de Administração, Kairan Rocha, também coordenador do comitê interno criado para lidar com a pandemia. No dia 5, o comitê se reuniu com a prefeita em exercício, Sheila Lemos (DEM), para discutir o retorno das aulas da rede municipal de educação e das instituições privadas de ensino, inclusive as de ensino superior, “Estamos abrindo os diálogos sobre a volta das aulas e para a manutenção dos protocolos“, disse Kairan, segundo a Secretaria de Comunicação (Secom).

De acordo com o boletim da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), Vitória da Conquista registrou, nesta terça-feira (12), um total de 15.626 casos confirmados da Covid-19. Em janeiro já são 1.240, média de 103,3 por dia, a maior desde que a pandemia começou. A média diária de óbitos também é crescente (uma por dia) e supera novembro (0,63/dia) e dezembro (0,80/dia). Neste mês, ocorreram 12 mortes de moradores do município infectados pelo novo coronavírus, segundo a SMS. No total, já são 241 moradores do município mortos por Covid-19.

Outro critério de avaliação do gravidade da pandemia é a ocupação de leitos hospitalares dedicados a pacientes com suspeita ou confirmação da doença, principalmente UTI, que ontem estava em 80,6% e no domingo alcançou 86,6%, uma das taxas mais altas nesses pouco mais de nove meses após o primeiro caso em Vitória da Conquista. No domingo, 22 conquistenses estavam internados em uma das 70 UTIs dedicadas à Covid-19 na cidade. Ontem eram 21.

Nesta terça-feira, a taxa de ocupação caiu para 60,78%, no geral. Apesar disso, a quantidade de conquistenses internados ainda é grande: 44, dos quais 21 em UTI e 23 em enfermaria.

ÓBITOS DE JANEIRO

Hoje foram notificados três óbitos, dois de ontem e um do dia 10 de dezembro.

239º óbito – Homem de 76 anos, morador do bairro Candeias, portador de doença cardiovascular. Foi internado no dia 1º de dezembro no Hospital Samur, onde faleceu em 10 de dezembro.

240º óbito – Homem de 75 anos, morador da Fazenda Cachoeira do Rio Pardo (Inhobim), sem comorbidades relatadas. Foi internado no dia 6 de janeiro no Hospital Geral de Vitória da Conquista (HGVC), onde faleceu em 11 de janeiro.

241º óbito – Homem de 78 anos, morador do bairro Urbis V, portador de hipertensão. Estava internado desde o dia 7 de dezembro no Hospital São Vicente, onde veio a óbito em 11 de janeiro.

Ontem (11) foram confirmadas as mortes de duas mulheres. Uma era moradora do bairro Ibirapuera, 47 anos, portadora de hipertensão e estava internada no Hospital Geral de Vitória da Conquista (HGVC) desde o dia 1º de janeiro, onde faleceu ontem. A outra vítima tinha 78 anos, morava no Conveima I e era hipertensa. Internada no dia 4 de janeiro também no HGVC, faleceu na última sexta-feira (8).

Também no dia 8, morreu por Covid-19 um homem de 48 anos, morador do bairro Jurema, portador de hipertensão, que estava internado desde o dia 14 de dezembro no Hospital São Vicente.

Na semana passada, foram três óbitos, todos no dia 4, segundo boletim da Prefeitura: uma mulher de 62 anos, moradora do bairro Panorama, portadora de doença cardiovascular, diabetes melito e obesidade; um homem de 82 anos, morador do bairro Kadija, portador de diabetes melito, e uma mulher de 70 anos, moradora do bairro Candeias, sem comorbidades relatadas.

Na primeira semana de janeiro aconteceram quatro óbitos. No dia 1º, a vítima fatal da novo coronavírus em Vitória da Conquista foi um homem de 92 anos, morador do bairro São Vicente. No dia seguinte, uma mulher de 73 anos, moradora do bairro Urbis VI, portadora de doença neurológica crônica e doença pulmonar crônica.

No dia 3, um homem de 75 anos, morador do bairro Panorama I, sem comorbidades mencionadas, e uma mulher de 89 anos, moradora da zona rural do município, portadora de doença cardiovascular e pneumopatia crônica, também morreram com a Covid-19.

Author: Giorlando Lima

Jacobinense, conquistense, itabunense, baiano, brasileiro. Pai de Giorlando e Alice, minhas razões de viver; profunda e eternamente apaixonado pela vida. 58 anos de idade, 42 de labuta como jornalista, publicitário, marqueteiro, blogueiro. Minha ideologia é o respeito, minha religião é o amor.

Comente