Confusão na vacinação em Conquista | Secretário municipal culpa direção do Hospital de Base

Nesta quarta-feira (20), segundo dia da vacinação dos profissionais de saúde que atuam na linha de frente contra a Covid-19 em Vitória da Conquista, vários incidentes aconteceram envolvendo trabalhadores de diversas unidades da cidade e o pessoal da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) encarregado de realizar a vacinação. De acordo com testemunhas houve início de tumulto na parte da manhã, com bate boca que acabou exigindo intermediação da Polícia Militar. O trabalho está sendo feito em drive thru instalado no estacionamento do Comando Policiamento Regional Sudoeste (CPRSO). Vídeos circularam com técnicos da área de saúde reclamando de desrespeito por terem ficado horas na fila e não terem sido vacinados, pois as declarações de que atuam diretamente em setores de Covid-19 estariam assinadas por pessoas não autorizadas para tal, conforme entendimentos entre a SMS e os hospitais.

Durante a transmissão do programa Jornal Band News desta quarta, o secretário do Gabinete Civil da Prefeitura de Vitória da Conquista, Marcos Ferreira, que também é diretor, comentarista e apresentador da emissora, foi claro ao culpar a direção do Hospital Geral de Vitória da Conquista (HGVC), mais conhecido como Hospital de Base, e não economizou indignação com o que insinuou ser uma ação política da direção da administração da unidade para prejudicar o trabalho da Secretaria Municipal de Saúde, que coordena a vacinação contra a Covid-19 em Vitória da Conquista.

Marcos Ferreira reagiu ao que estaria acontecendo no posto da vacinação instalado no CPRSO, segundo ele, onde trabalhadores do hospital estadual estariam fazendo confusão para se vacinar mesmo estando fora da relação fornecida pela direção da unidade, que conteria apenas profissionais que atuam em setores ativos de atendimento a pacientes com Covid-19, denominados de linha de frente.

De acordo com o radialista e secretário municipal, a direção do Hospital de Base estava enviando jardineiros, copeiros e almoxarife, contrariando ao que teria sido definido entre a SMS e todas as instituições públicas e privadas de saúde do município. Marcos Ferreira deu um tom de denúncia ao seu desabafo e disse que faltou responsabilidade da administração do Hospital Geral de Vitória da Conquista. Ele perguntou, no ar, se a ação teria o objetivo de prejudicar o trabalho. “Quer fazer média com… ou quer perturbar mesmo, ou quer esculhambar? Quer prejudicar o serviço?”, questionou Ferreira.

Ele ressaltou que apenas estão sendo vacinados, desde ontem, com as 4.040 doses enviadas pela Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab), os profissionais que trabalham na linha de frente da Covid-19 e que isso foi o combinado. “Teve reunião com as unidades de saúde: profissionais da linha de frente, independente de idade. Linha de frente é uma coisa. Almoxarife é linha de frente, Geraldo? Pelo amor de Deus! Jardineiro? Com todo respeito à profissão de todo mundo. Hospital de Base está fazendo isso. Quer dizer… Para com isso, toma juízo, irmão, responsabilidade. Deixa a política de lado, pô!”, desabafou Marcos Ferreira.

O programa foi transmitido ao vivo também pelo Facebook da Band Conquista, mas, cerca de meia hora, depois o vídeo foi apagado da rede social. Em caso de eventual confirmação do teor do comentário, a emissora grava, obrigatoriamente, os programas que transmite e eles ficam arquivados à disposição dos órgãos fiscalizadores.

O BLOG teve tempo de transcrever a fala do secretário Marcos Ferreira, no papel de radialista.

“A gente recebeu informação aqui, da Secretaria de Saúde do município que tá sendo, tá acontecendo, tá tendo, lá no CPR Sudoeste uma confusão desnecessária. Foram feitas reuniões com as unidades de saúde explicando que a prioridade nesse momento, dessas 4.040 vacinas são para profissionais de saúde da linha de frente, seja de onde ele for. Tem uma relação, lá, com os nomes dos profissionais que foi enviada, inclusive, por essas unidades. Então, a secretaria de saúde é que está presente (…)

“Tem algumas unidades mandando todo mundo. Não é assim. Vou dar um exemplo prático aqui, porque para mim já em tom de denúncia: o Hospital de Base tá mandando jardineiro, copeiro, tá mandando almoxarife, quer dizer, isso aí é linha de frente?

“Com todo respeito, todo mundo tem que ser vacinado, imagino até que as pessoas sejam idosas também, se sintam até no direito, mas não pode, O administrador do hospital tem que ter bom senso, a responsabilidade de não fazer confusão. O cara chega lá, não é vacinado, está criando confusão. Tá chegando os técnicos de saúde, os enfermeiros… Tá acontecendo isso lá. A Polícia tendo que intervir… Quer dizer… Peraí, gente, vamos ter responsabilidade. Quer fazer média com… ou quer perturbar mesmo, ou quer esculhambar? Quer prejudicar o serviço? Para com isso. Foi combinado, teve reunião com as unidades de saúde: profissionais da linha de frente, independente de idade. Linha de frente é uma coisa. Almoxarife é linha de frente, Geraldo? Pelo amor de Deus! Jardineiro? Com todo respeito à profissão de todo mundo. Hospital de Base está fazendo isso. Quer dizer… Para com isso, toma juízo, irmão, responsabilidade. Deixa a política de lado, pô!”

O OUTRO LADO

O BLOG entrou em contato com o diretor do Hospital Regional de Vitória da Conquista, Geovani Moreno, para saber se ele tinha conhecimento do que foi narrado por Marcos Ferreira e se teria alguma resposta ao comentário do secretário. O médico disse que não tinha ouvido o programa, porque está sem tempo, completamente focado no trabalho de administrar o hospital neste momento crítico de pandemia, mas, ao tomar conhecimento de conteúdo da fala do radialista, sentiu um misto de indignação e tristeza.

“A pandemia faz com que as pessoas mostrem o que têm de melhor e pior”, observou. “Quem tem o mínimo conhecimento sobre o meu caráter, sabe da minha responsabilidade e que estou com meu empenho totalmente voltado para os problemas do hospital e para a ação contra a Covid-19, não tenho tempo para dar atenção a esse tipo de comentário”;

Govani afirmou que desconhece a situação narrada por Marcos Ferreira e que enviou para vacinar apenas os servidores que estão na linha de frente, atuando diretamente com a Covid-19. “Estou consumido e exasperado, pois o hospital tem 2.200 servidores e, no momento não há vacina suficiente para todos, mas desconheço isso que foi dito”, assegurou o diretor do HGVC. “Só mandei para lá os servidores que estão na relação, conforme foi combinado”, afirmou, lembrando que ele não pode garantir que alguém tenha aparecido lá por contra própria.

Veja um dos vídeos em que uma técnica de enfermagem do Hospital de Base reclama do tratamento recebido:

FOTO: BLOG DO ANDERSON (FEITA ANTES DA PANDEMIA

One Reply to “Confusão na vacinação em Conquista | Secretário municipal culpa direção do Hospital de Base”

Comente