Polícia Militar garante toque de recolher em Conquista, fiscalização da Prefeitura não aparece em algumas regiões




A partir das 18h30 de ontem (19), a Polícia Militar já estava preparada para começar a missão, passada pelo governador do Estado, de garantir o cumprimento do toque de recolher decretado para 343 cidades da Bahia a se iniciar naquela noite. Diversas guarnições se reuniram em pontos estratégicos de Vitória da Conquista, como o posto policial da Avenida Olívia Flores, Ceasa e proximidades da Avenida Frei Benjamin. A ação da PM seria circular a cidade para verificar o cumprimento das restrições por parte dos estabelecimentos, como bares, restaurantes, lanchonetes e outro locais considerados não essenciais e impedir a movimentação de pessoas pela cidade sem justificativa.

O BLOG acompanhou a atuação da equipe que atuou na chamada região de bares e restaurantes no entorno da Avenida Olívia Flores, onde ficam alguns dos pontos mais frequentados da cidade. A PM não teve trabalho. Antes das 22 horas, horário determinado pelo decreto do governador Rui Costa, quase todos os bares já haviam recolhido suas mesas e os clientes já tinham ido embora, com exceção do Camarote, um dos points mais famosos, onde, às 21h45 muitas mesas ainda tinham clientes bebendo e fazendo festa, extrapolando o horário estipulado pela Prefeitura para que os estabelecimentos já tenham encerrado o funcionamento.

Na Avenida Alziro Prates, o trecho da gastronomia e da curtição da noite conquistense, todos os restaurantes e bares já estavam fechados perto do horário limite. Apenas na frente do Jack, um dos points de maior destaque daquela parte da cidade, vários clientes ainda conversavam e bebiam depois do horário. O estabelecimento estava fechado, com luzes apagadas, mas muitos frequentadores recalcitrantes pareciam não ter interesse em cumprir o toque de recolher.

Um estabelecimento que deu exemplo foi o tradicional Cai 1, com 41 anos funcionando naquela região. Lotado (com o devido respeito às regras sanitárias) desde o final da tarde, como é comum ao local, bem antes das 22h00 não tinha mais ninguém. Ainda não eram 20h30, quando o proprietário, Naldo Ferreira, começou a avisar a clientela de que fecharia o bar às 21h30, como determinado pela Prefeitura. Ele fazia tocar, no sistema interno de som, uma sirene parecida com a de uma viatura da polícia, pedia desculpa e falava que não queria ser chato, mas lembrar a todos que era melhor dormir em casa do que no presídio Nilton Gonçalves e mais importante que tudo, dizia Naldo, com saúde.

Em outros pontos de Vitória da Conquista, com a Avenida Frei Benjamin, que tem muitos locais charmosos e comumente lotados, quase não havia ninguém na rua. Lanchonetes, restaurantes e bares fizeram tudo para fechar antes da hora limite. Quase todos já haviam encerrado antes do horário definido pelo município, 21h30 e já não tinham qualquer movimento quando o toque de recolher passou a valer, às 22h00. Muita gente foi para casa mais cedo com medo da polícia, é certo, mas, pelo que se ouviu, a maioria foi embora para poder voltar outras vezes no futuro.

O TRABALHO DA PM

No tempo em que acompanhou a ação da PM na primeira noite do Toque de Recolher no entorno da Avenida Olívia Flores, o BLOG não encontrou nenhum fiscal da Prefeitura, que aderiu à medida do Governo do Estado e prometeu que atuaria em conjunto com a polícia. Desde o início da noite, policiais da 77ª Companhia Independente de Policiamento Militar estavam a postos na Avenida Olívia Flores, como a 78ª Companhia Independente de Policiamento Militar e 92ª Companhia Independente de Policiamento Rural, fiscalizavam a zona oeste e as localidades da zona rural. A ação também conta com o apoio das companhias especializadas: Caesg, Esquadrão Falcão e Polícia Rodoviária Federal.

O toque de recolher será válido, a princípio, por sete dias. Enquanto estiver em vigor, fica restrita a circulação de pessoas entre às 22h00 e às 5h00 da manhã. Só poderão circular quem fizer parte de serviços essenciais ou estiver em situação de emergência.

“A medida prevê que as pessoas fiquem realmente em casa e nós teremos pontos de abordagem e pontos de bloqueio todos os dias para fiscalizar quem estiver em agindo fora do decreto do governador do estado”, declarou o capitão Lima Júnior, um dos coordenadores da operação da trabalho da Polícia Militar na garantia do toque de recolher. “Esperamos que a comunidade nos apoie e nos ajude nessas medidas que são necessárias para reduzir índices de contágio do coronavírus”, pediu o oficial.

Até 00h00, quando esta matéria foi encerrada, não havia notícia de problemas. Na manhã deste sábado, a Polícia Militar e a Prefeitura Municipal devem fazer um balanço da primeira noite/madrugada que Vitória da Conquista parou para evitar que o novo coronavírus continue avançando.

 

Author: Giorlando Lima

Jacobinense, conquistense, itabunense, baiano, brasileiro. Pai de Giorlando e Alice, minhas razões de viver; profunda e eternamente apaixonado pela vida. 58 anos de idade, 42 de labuta como jornalista, publicitário, marqueteiro, blogueiro. Minha ideologia é o respeito, minha religião é o amor.

Comente

%d blogueiros gostam disto: