Governador diz a Sheila que precisa de tempo para abrir hospital de campanha e Conquista adere a lockdown



A prefeita em exercício de Vitória da Conquista, Sheila Lemos (DEM), confirmou agora há pouco ao BLOG que a decisão da Prefeitura é seguir a medida do governador Rui Costa (PT) prorrogando o lockdown na Bahia até 5h00 de quarta-feira (3). Sheila explicou que a decisão foi tomada em debate no Comitê de Gestão de Crise (CGC), mas, antes, ela conversou com o prefeito Bruno Reis (DEM), de Salvador, e com o próprio governador.

“Bruno Reis me ligou à tarde e contou que a situação em Salvador está muito grave, com fila para UTI e casos em crescimento, e que contava com o máximo de apoio dos demais municípios, entre eles Feira de Santana e Vitória da Conquista, por serem as maiores cidades do interior, já que o quadro de crescimento da Covid-19 tem registro em todo o estado”, contou Sheila.

O governador ligou para a prefeita de Vitória da Conquista em seguida e argumentou que a medida se faz necessária não por conta de um ou outro município, especificamente, mas para o todo do estado e que em Vitória da Conquista os números da Covid-19 justificava a decisão, além da importância regional do município.

Mas, de acordo com Sheila, o principal argumento do governador foi de que ele precisava de, pelo menos, 48 horas a mais de restrições, até abrir o hospital de campanha da Fonte Nova, que será gerido pelas Organizações Sociais Irmã Dulce (OSID).

“Perguntei ao governador sobre o aumento dos leitos de UTI na região, prometidos por ele como forma de desafogar o sistema de saúde em Vitória da Conquista, a exemplo da liberação de leitos do Unacon de Caetité, e ele me disse que está tudo pronto, faltando apenas bombas de infusão, que estão em falta e ninguém consegue”, narrou a prefeita em exercício. De acordo com ela, Rui Costa perguntou se Vitória da Conquista tinha a bomba, mesmo quebrada, pois o Governo do Estado consertaria e instalaria.

“Percebi que ele está tentando realmente resolver o problema, então, convoquei o comitê para discutirmos o nosso posicionamento. Nossa avaliação, com base nas estatísticas e dados do acompanhamento epidemiológico é que mais 48 horas seria possível, considerando o efeito rebote. Mais dias pode ocorrer uma redução e em seguida estourar novos casos”, disse a prefeita.

Para Sheila, que também é comerciante, é uma situação de sacrifício, difícil para a economia e para os empregos, no entanto, a visão do governo, defendida pelo prefeito Herzem Gusmão e por todos do governo é pela defesa da vida. Na visão da gestora, a ocupação de leitos de UTI deixa Vitória da Conquista em uma situação nada confortável para ir contra medidas que visem conter o avanço da Covid-19.

“Não poderíamos ficar contra uma medida de enfrentamento desse mal que é o novo coronavírus, mas, o que dissemos ao governador é que Vitória da Conquista, que faz um acompanhamento criterioso da evolução da doença e está com cerca de 87% de taxa de ocupação de leitos, entende que a prioridade é aumentar a capacidade de atendimento, com mais UTIs na região, para que sistema de saúde do município possa sair dessa pressão”.

A prefeita em exercício de Vitória da Conquista afirmou que na quarta-feira uma nova avaliação será feita pela Prefeitura e pelo Governo do Estado e ela espera que Rui Costa tenha cumprido o que se comprometeu com o município.

Com a decisão anunciada por Sheila Lemos, as repartições governo municipal não funcionarão nesta segunda-feira e na terça.


Author: Giorlando Lima

Jacobinense, conquistense, itabunense, baiano, brasileiro. Pai de Giorlando e Alice, minhas razões de viver; profunda e eternamente apaixonado pela vida. 58 anos de idade, 42 de labuta como jornalista, publicitário, marqueteiro, blogueiro. Minha ideologia é o respeito, minha religião é o amor.

Comente

%d blogueiros gostam disto: