Uesb e Polícia Militar assinam convênio para oferta de atendimento psicológico a policiais e familiares



No último dia 26, um ato solene ratificou o Termo de Colaboração Técnica firmado entre a Universidade Estadual Sudoeste da Bahia (Uesb) e a Polícia Militar para serviços de atendimento e acompanhamento psicológico voltados à corporação e familiares. O termo teve as assinaturas do reitor Luiz Otávio de Magalhães e do comandante do Comando de Policiamento da Região Sudoeste (CPRSO), coronel Ivanildo da Silva, para quem, a iniciativa, além de ter estimulado um olhar diferenciado da polícia para a universidade, reflete na mudança da forma de ver a corporação.

Segundo ele, a parceria reforça a humanização dentro do quadro de profissionais. “Com o advento do mal do século, que é a depressão, o nosso policial também passa por esse processo de adoecimento. Nós somos seres humanos e estamos lá com a comunidade. Apenas estamos aqui para exercer nosso papel fundamental que a Constituição nos dá, que é proteger e servir à comunidade”, pontuou.

A parceria, conforme explica o reitor Luiz Otávio, também é uma forma de a instituição de ensino servir à sociedade. “É uma motivação estabelecer  uma política de humanização dos servidores militares que trabalham com segurança pública, por ser uma atividade que estabelece relações extremamente estressantes de trabalho, envolvendo aspectos que impactam a vida da pessoa. E isso é muito gratificante para nós, enquanto instituição pública”, explicou o reitor.

Desde maio de 2018, a Uesb tem sido parceira da Polícia Militar, com a proposta de oferecer atendimento psicológico aos PMs e familiares. Com cerca de 600 atendimentos já realizados por professores do curso de Psicologia da Uesb, o convênio foi assinado na última sexta-feira, 26.

Segundo a coordenadora do Núcleo de Práticas Psicológicas (Nupsi), Jeciana Botelho, essa abordagem oferece aos policiais um espaço para escuta que busca o fortalecimento individual que influi, diretamente, na forma como eles se vêm e agem dentro do âmbito pessoal e profissional.  “Temos visto isso de forma muito consciente nos relatos, com mudanças de comportamento e posicionamento diante do outro. Esses atendimentos não estão contribuindo somente com a saúde dos policias, percebemos que vêm contribuindo também para a população que é atendida por eles”, esclareceu Jeciana.


Author: Giorlando Lima

Jacobinense, conquistense, itabunense, baiano, brasileiro. Pai de Giorlando e Alice, minhas razões de viver; profunda e eternamente apaixonado pela vida. 58 anos de idade, 42 de labuta como jornalista, publicitário, marqueteiro, blogueiro. Minha ideologia é o respeito, minha religião é o amor.

Comente

%d blogueiros gostam disto: