Vereadoras, prefeita de Conquista e convidadas destacam desigualdade, violência e lutas em sessão do Dia da Mulher


Na sessão especial em homenagem ao Dia Internacional da Mulher, realizada nesta quarta-feira (10), a Câmara Municipal de Vitória da Conquista fez a entrega do Diploma Mulher Cidadã Loreta Valadares a diversas mulheres que têm se destacado na comunidade por sua defesa dos direitos femininos no município. Durante o evento, as vereadoras Lúcia Rocha (MDB) e Viviane Sampaio (PT) ressaltaram a importância da participação da mulher na política e da luta delas por mais dignidade de vida para todas. Também falaram a prefeita em exercício, Sheila Lemos (DEM) e convidadas.

Pouca representação feminina na política – A vereadora Lúcia Rocha (MDB), autora do requerimento que criou o Diploma Loreta Valadares, lembrou da baixa representatividade de mulheres na política conquistense, inclusive no Executivo Municipal: “Temos menos de 10% das vagas da Câmara ocupadas por mulheres, e na prefeitura não é diferente, além da secretária de saúde Ramona Cerqueira, apenas mais duas mulheres fazem parte do secretariado municipal”. Lúcia lembrou das lutas e conquistas constantes das mulheres e ressaltou que ainda há muito a se fazer.

Dia de Luta – A vereadora Viviane Sampaio (PT) destacou que o Dia Internacional da Mulher é uma data de luta. “É um dia político marcado por muita luta, muita resistência”, apontou a parlamentar. Ela destacou que as homenageadas pela Câmara nesta sessão são representantes das mulheres conquistenses. “Quero parabenizar a todas as mulheres que representam aqui as mulheres de luta de Vitória da Conquista”. Ela também cobrou do Governo Municipal a abertura do diálogo com o Fórum de Mulheres, e do Governo do Estado a ampliação do funcionamento da Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (DEAM).

Tudo que puder ser implementado agora, será implementado – A prefeita em exercício, Sheila Lemos (DEM), destacou que a sessão especial trata das conquistas e das lutas das mulheres, afirmando que muitos espaços já foram conquistados, mas que as mulheres ainda têm pela frente uma luta muito grande, e reafirmou o compromisso do Governo Municipal com o incentivo e apoio às mulheres. “Nós temos que ajudar essas mulheres. Elas têm que ser ajudadas quando estão em situação de violência e depois precisam ser incentivadas no momento que vão ao mercado de trabalho. Esta mulher precisa ser uma empreendedora. Ela não pode mais viver nessa situação de violência”.

“Contem comigo. Estarei sempre pronta. Recebi o manifesto da vereadora Viviane e analisaremos com todo o carinho. Tudo o que puder ser implementado agora, será implementado”, assegurou Sheila.

Dia de homenagem e de luta – A coordenadora de Políticas Públicas para Mulheres de Vitória da Conquista, Dayane Evellyne Andrade, falou sobre a importância do Dia Internacional da Mulher como uma data simbólica. “É um dia de homenagem, mas é também um dia de lutas”, afirmou a coordenadora. Nesse sentido, ela ressaltou políticas públicas que vêm sendo adotadas em Vitória da Conquista, como a criação da equipe técnica do CRAS – que ampliou o atendimento às mulheres em vulnerabilidade social, a criação da Sala Empreendedora e a campanha Março Mulher. “Avançamos, sim, e podemos avançar mais se trabalharmos juntas”, garantiu Evellyne.

Momento difícil e de crise para as mulheres – A representante do Conselho Municipal da Mulher, Arlene Santos Ribeiro, disse que “vivemos um momento difícil e de crise para as mulheres, porque a violência só tem crescido”, e lamentou que a maioria das mulheres não tem meios de fazer denúncia. Ela relatou o número crescente, desde o início da pandemia, de abusos contra crianças e adolescentes dentro das próprias casas. “O momento é de caos”, lamentou, parabenizando as mulheres que receberão a horaria, pois “são pessoas que realmente representam a categoria”.

Necessidade de avanços – A representante da OAB, advogada Suilane Lima, ressaltou que o Dia Internacional da Mulher é um dia a ser celebrado. “Celebrar o 8 de Março é fundamental para que a gente continue demonstrando a necessidade de evolução”, disse a advogada. Ela pontuou ainda que as mulheres precisam ter maior representatividade na ocupação de espaço nos cargos eletivos. “Precisamos ter mais mulheres que se juntem ao time da vereadora Lúcia e da vereadora Viviane”, disse ela, destacando o número reduzido de mulheres na Câmara Municipal. “É preciso que as mulheres tenham condições de participar da vida pública, das instituições”, finalizou.

Um mês de muita luta – A representante da União Nacional das Mulheres, Lídia Rodrigues, lamentou a diminuição da quantidade de mulheres no legislativo conquistense e parabenizou e agradeceu às advogadas, psicólogas e assistentes sociais que trabalham de forma voluntária desde o ano passado, neste momento de pandemia, e até o momento tem se colocado à disposição, de forma corajosa, para defender as mulheres vítimas de violência. “Em todo esse período, foram importantíssimas para segurar a barra daquelas mulheres vítimas de violência.”, afirmou Lídia, destacando, ainda, a entrega do Manifesto 8 de Março aos representantes da Prefeitura e Câmara Municipal e, por fim, deixou uma mensagem de agradecimento: “Gostaria de agradecer e conclamar que esse mês é um mês ainda de muita luta. É um mês que a gente aproveita para dar visibilidade às nossas reivindicações, apontar as nossas desigualdades e exigir as políticas públicas”, finalizou.

Desafios da Delegacia da Mulher – A delegada Gabriela Garrido, titular da Delegacia Especial de Apoio à Mulher (Deam), agradeceu a homenagem oferecida pela Câmara de Vereadores com o Diploma Mulher Cidadã Loreta Valadares. Ela falou sobre os desafios de estar à frente da Deam e em garantir o atendimento policial às mulheres vítimas de todos os tipos de violência em Vitória da Conquista. “Estamos lutando dia a dia para atender essas mulheres e contamos com o apoio de uma grande rede de proteção”, afirmou a delegada.

Levanta a cabeça e vamos à luta – A Promotora Guiomar Miranda parabenizou as mulheres conquistenses, principalmente as que estão nos hospitais atuando na linha de frente de combate à Covid. Disse que a frase “por trás de um grande homem tem uma grande mulher” tem um equívoco, pois a mulher está sempre à frente do homem, indicando o caminho do progresso, ou está em casa, aconselhando-o no dia a dia. Ela também destacou a importância da sessão em homenagem à mulher. “Aqui não estamos apenas homenageando a mulher, um momento como esse é de reflexão para a sociedade entender que ainda temos muito a conquistar. Temos capacidade, mas ainda estamos abaixo de onde podemos chegar”, disse, acrescentando que apenas duas mulheres assumiram até hoje o cargo de comando do Ministério Público da Bahia. “Batalhas a vencer estamos tendo, a mulher tem que se colocar no seu devido lugar e ser conduzida ao pódio onde deve estar. Ela precisa vencer os obstáculos e nunca abaixar a cabeça. Levanta a cabeça e vamos à luta”, conclamou.

É preciso voltar as atenções para as mulheres – A enfermeira e ex-vereadora de Vitória da Conquista, Lygia Matos, apontou que é preciso voltar as atenções para as mulheres com transtorno mental. “As mulheres com transtorno mental muitas vezes não são enxergadas dentro do próprio espaço de saúde, de desenvolvimento social. À vezes não fazem o (exame) preventivo anualmente. Essas mulheres invisíveis têm as mesmas necessidades que as outras mulheres”, destacou Matos.

A enfermeira destacou ainda que a enfermagem é uma área composta majoritariamente por mulheres, e está na linha de frente do enfrentamento ao coronavírus. “Quero agradecer ao serviço de enfermagem, basicamente composto por mulheres, que tem enfrentado com muita garra essa crise. São mulheres guerreiras”, agradeceu ela.

Situação preocupante com a pandemia – A Secretária Municipal de Saúde, Ramona Cerqueira, destacou a preocupante situação de como a situação de isolamento social tem afetado muitas mulheres, tanto pela sobrecarga durante o trabalho, quanto em outros tipos de sobrecargas em seus meios familiares. “Viramos mães, viramos pais, viramos profissionais de saúde também dentro de casa, viramos professoras, viramos exemplo”, refletiu Ramona. Cerqueira dedicou a sua fala em ressaltar a admiração que tem por todos que seguem na luta pelo reconhecimento dos direitos e políticas públicas das mulheres, que enfrentam o dia a dia com tantas lutas, sem perder o encanto. “Merecemos ser felizes, merecemos sorrir, merecemos receber e dar amor. Por isso que hoje dentro desse enfrentamento da pandemia, eu troco todas as minhas flores, por respeito a todos vocês. Sintam-se todas abraçadas”, finalizou Ramona Cerqueira.

HOMENAGEADAS (Ordem alfabética)

Alessandra Falcão – Durante anos, ela foi voluntária da ONG Casa da Cidadania, ações   voltadas prioritariamente para o público feminino. Em 2016, submeteu-se a uma seleção ao cargo de assistente social do Conjunto Penal de Vitória da Conquista, onde foi aprovada, sendo a primeira assistente social daquela unidade prisional, prestando assistência sobretudo às famílias dos egressos. Até hoje, ela é lotada no Presídio Nilton Gonçalves, trabalhando diretamente com as internas, desenvolvendo importantes projetos de ressocialização (educacional,  qualificação profissional, palestras sobre saúde física e psíquica) e apoio às famílias destas.

Ana Sheila Lemos Andrade – Ana Sheila Lemos Andrade é empresária. Começou a trabalhar desde cedo ajudando os pais, no pequeno comércio local. Com o intuito de dar oportunidades para que mulheres fossem protagonistas das suas histórias, ajudou a fundar, ao lado de sua mãe, Irma Lemos, o Movimento das Donas de Casa (MDC), instituição que há 12 anos oferece cursos profissionalizantes gratuitamente para ajudar mulheres a conquistarem a sua independência.

Em 2015, foi eleita vice-presidente da Câmara Dirigente dos Lojistas (CDL) de Vitória da Conquista. Em 2017, foi eleita presidente da CDL, tornando-se a segunda mulher a presidir a instituição. Na eleição de 2020, foi eleita vice-prefeita na chapa de Herzem Gusmão. No momento é prefeita em exercício.

Edimê Gomes Miranda – Educadora, sempre teve como meta a melhoria da qualidade do ensino oferecido aos mais pobres, ainda mantendo a crença que a educação é o caminho que leva à transformação social, politica, econômica e cultural. Seu trabalho é marcado pela luta contra qualquer tipo de preconceito que discrimina e potencializa o fosso da desigualdade em todos os campos da sociedade. Enquanto coordenadora já idealizou, coordenou e executou vários projetos na comunidade escolar do Pradoso com variadas temáticas voltadas para o conhecimento e fortalecimento das raízes afro-brasileiras, para a defesa dos Direitos Humanos, sobre o papel da mulher na sociedade e em especial, da mulher negra e o seu processo de empoderamento através do fortalecimento da sua ancestralidade.

Gabriela de Diego Garrido – Delegada de Policia Civil, formou-se em direito iniciou a carreira jurídica como Assessora na Procuradoria Jurídica da Bahia, em Salvador. Atuou como Delegada titular de Boa Nova, Caetanos, Tremedal, Poções, Bom Jesus da Serra, Planalto, Belo Campo e exerceu a função de delegada Titular de Barra do Choça por 9 anos. Em 21 de setembro de 2020, assumiu a Delegacia da Mulher (DEAM), em Vitoria da Conquista e também Delegada Substituta na Cidade de Belo Campo.

Maria Edna Guimarães Silva –  teve importante papel na educação primária do nosso município, formando muitos cidadãos, e atuou por um período como agente de endemias no Poder Público Municipal, ajudando o Bairro Ibirapuera no combate e conscientização em torno de diversas doenças endêmicas. Atualmente, Dona Edna atua como agente comunitária na Unidade Básica de Saúde Dr. João Melo Filho, localizado no Bairro Ibirapuera, que atende a mais de três mil famílias.

Mesmo nesse período pandêmico, sendo uma senhora de 67 anos e apresentando comorbidades, Dona Maria Edna não deixa de servir a comunidade do bairro. Ela faz as visitas corriqueiras e cotidianas aos moradores, utilizando o automóvel da família, buscando atender a todos que necessitam da saúde pública. Segundo relato de moradores, ela é como uma mãe que acolhe e cuida, muitas vezes é a amiga e psicóloga que aconselha, é uma mulher que sai em defesa dos direitos, principalmente de outras mulheres.

Paloma dos Santos – Mãe Paloma de Oxóssi é a primeira mulher trans no Brasil a ter seu nome civil retificado em cartório, em um processo acompanhado pela Coordenação de Diversidade Sexual do Município de Vitória da Conquista. Militante dos direitos das pessoas LGBTQUIA + e também da luta contra a intolerância religiosa, Mãe Paloma de Oxóssi constrói um trabalho de acompanhamento de mulheres e homens trans vítimas de preconceito e toda forma de violência em nosso município, organizando coletivos de diversidade sexual e reivindicando o respeito à orientação sexual e à identidade de gênero de cada pessoa.

Rita de Cássia Barbosa de Sousa –  Atuou como professora da Rede Municipal de Vitória da Conquista de 1988 a 1997, é professora da Rede Estadual de Ensino desde 1991, lecionando atualmente no Colégio Estadual do Campo da Cabeceira do Jiboia, localizada na Zona Rural desta cidade. É Escrivã da Polícia Civil da Bahia, tendo ingressado na Instituição em 1998. Em 2002, aceitou o convite para trabalhar na Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (DEAM), onde continua trabalhando e atendendo a mulheres vítimas dos mais variados tipos de violência. Junto com a equipe da DEAM de Vitória da Conquista, recebeu, em 2010, o Prêmio Boas Práticas de Trabalho no Serviço Público, evento promovido pelo Governo do Estado da Bahia. Em 2016, foi nomeada para fazer parte do Conselho Municipal da Mulher. No ano de 2013, também na UESB, ingressou no mestrado, apresentando na conclusão de curso a Dissertação intitulada “Entre Denúncias e Desistências: tecendo as memórias de mulheres em casos de violência doméstica”. Prosseguindo seus estudos nessa mesma Universidade, defendeu, em 2020, a tese de doutorado intitulada “Memória e Violência Doméstica Contra as Mulheres: as (Im)possibilidades de perdão e justiça”.

Texto e fotos: Assessoria de Comunicação da Câmara de Vereadores


Author: Giorlando Lima

Jacobinense, conquistense, itabunense, baiano, brasileiro. Pai de Giorlando e Alice, minhas razões de viver; profunda e eternamente apaixonado pela vida. 58 anos de idade, 42 de labuta como jornalista, publicitário, marqueteiro, blogueiro. Minha ideologia é o respeito, minha religião é o amor.

Comente

%d blogueiros gostam disto: