Câmara de Vereadores faz intermediação entre Prefeitura e camelôs da Estação de Transbordo Herzem Gusmão


Para vistoriar o andamento das obras da Estação de Transbordo Herzem Gusmão, os vereadores de Vitória da Conquista fizeram na manhã desta quarta-feira (7) uma visita ao local, quando também se encontraram com os camelôs que atuam na Avenida Lauro de Freitas e reivindicam continuar na área após a inauguração do equipamento. Na obra, os foram vereadores foram recebidos pelos engenheiros responsáveis, que prestaram informações sobre o andamento desse empreendimento, previsto para ser inaugurado em maio.

Sobre a demanda dos vendedores ambulantes, o presidente, vereador Luís Carlos Dudé (MDB) disse que a Câmara Municipal vai atuar para encontrar uma solução que contemple os trabalhadores e a configuração do espaço. “Nós vamos conversar e formar uma comissão para que haja um entendimento. Estamos fazendo uma mão dupla com o Poder Executivo para chegar a um denominador comum e resolver todas as questões que estão sendo apresentadas”, afirmou Dudé.

Informados pelo vereador Luciano Gomes (PCdoB) de que a prefeita Sheila Lemos (DEM) assegurou que vai garantir o direito de ficar na estação para o vendedores que possuem alvará, os trabalhadores questionaram a decisão, alegando que a maioria atua na informalidade e não possui alvará. “Nós temos aqui camelôs com mais de 40 anos de atuação e a maioria não possui alvará. Nós estamos reivindicando essa regularização e a garantia de que teremos condições de continuar trabalhando pelo sustento das nossas famílias”, afirmou Roberto Carlos Barbosa, um dos líderes do movimento.

Luciana Sousa é uma das ambulantes que ainda não sabe para onde será realocada após a inauguração da Estação de transbordo. Ela trabalha no local há mais de 18 anos. “Eu sobrevivo disso, sou mãe de família e estou preocupada, pois preciso trabalhar. Não tenho alvará e não sei o que será daqui pra frente”, lamentou a vendedora ambulante. Ela e os demais ouviram de Luciano Gomes que a prefeita está sensível e que a Câmara está atenta para não permitir injustiça  com os camelôs.

Os vereadores receberam um abaixo-assinado dos trabalhadores pedindo a permanência no local.


Comente

%d blogueiros gostam disto: