Um conto para Denzel

I O ônibus vencia veloz os dois últimos quilômetros da estrada. Sentado na poltrona 27, ele podia ver as primeiras casas, miúdas, telhados meia água e coloridas. No entorno delas, uma vegetação rala e rochas. A cidade é incrustrada em um vale e o trecho…

Leia Mais Um conto para Denzel

Sobre uma velha saudade, nada mais

– Não vai doer. A voz parecia distante, quase um sussurro, mas soava clara. Dizia para ele ficar tranquilo porque acabaria rápido. – Você quase não vai sentir. Tentando manter os olhos abertos se via deitado, nu e cercado de sombras. Sombras vestindo luvas. Luvas…

Leia Mais Sobre uma velha saudade, nada mais

Antes que as pontadinhas me calem. Uma carta

Eu adoeço pouco, a última gripe de que me lembro eu estava com uns 14 anos. Nem dor de cabeça me incomoda. Já tive algumas muito chatas, depois de beber barris de cerveja misturados com tonéis de rum. Fora isso, se uma pontadinha se insinua,…

Leia Mais Antes que as pontadinhas me calem. Uma carta

A pedido de um amigo triste, para sua amada ler.

Na minha última viagem dei a sorte de reencontrar um velho amigo na estação rodoviária. Já não nos víamos há uns dez anos. Ele vestia-se bem, camisa bem passada, mangas compridas por dentro da calça de sarja com jeito de nova. Elegante, embora me parecesse…

Leia Mais A pedido de um amigo triste, para sua amada ler.

Ah, essa velha limerência…

(Não sei dizer o que há em ti que fecha e abre; só uma parte de mim compreende que a voz dos teus olhos é mais profunda que todas as rosas) Ninguém, nem mesmo a chuva, tem mãos tão pequenas. (E.E. Cumming. Tradução de Augusto de…

Leia Mais Ah, essa velha limerência…

Seu olhar vale a pena. Ou: eu já amei assim II.

Olá: Meu nome é Ben Hur Costa. Moro em Conquista. Gostaria de ter a sua consideração de ler o e-mail até o final. Não é vírus, nem é proposta de pirâmide. Rs. Imagino que esteja surpresa por receber um e-mail de alguém que você não…

Leia Mais Seu olhar vale a pena. Ou: eu já amei assim II.

Teu nome é adjetivo.

Mas és a mulher mais linda que já amei. O amor mais doce que ficou no meu coração. A saudade mais intensa que flutua em minha alma. Uma falta que doi sem doer porque repleta de lembranças boas e desejos ainda mais intensos. Tua suavidade…

Leia Mais Teu nome é adjetivo.

Ressalto que já amanheceu.

Outra madrugada atravessada sob a carga de muitas saudades, dos mesmos medos, da constatação da mesma covardia e a certeza da mesma fraqueza. A locutora do Morena By Night avisa que são 5 da manhã. A voz dela sucede a de Jessé, com aquelas rimas…

Leia Mais Ressalto que já amanheceu.